Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Ser feliz pode ser opção?

 

Tem gente que faz e é feliz. Tem gente que não faz e é feliz. Então, ser feliz não depende de fazer ou não fazer, depende de outros fatores.

Que fatores são estes é que é a grande questão. Quem sabe a resposta? Eu não sei. O que eu sei é que ser feliz é mais do que um objetivo, é uma razão de vida, ou melhor, é a razão da própria vida.

Pode ser que tenha quem ache que não. Cada um é cada um e cada um sabe de si e do que quer.

Leia também: Do lado do bem

E o que é ser feliz? A ideia é ampla e não comporta limites. Será que ser feliz é a mesma coisa pra todo mundo?

Será que você seria feliz no cenário que me faz feliz? E eu? Será que seria feliz no seu quadrado?

Tem quem gosta do amarelo, tem quem gosta do preto, tem quem gosta do vermelho e isso não faz com que um seja mais feliz do que o outro.

Leia também: Vida de cachorro está muito chata

Todos podem ser felizes à sua maneira, dentro do seu espaço, com suas verdades e pontos de vista.

A felicidade é algo difícil de ser explicado, mas fácil de ser sentido. Todo mundo sabe quando está feliz. Aliás, no momento em que estamos felizes, normalmente não pensamos na possibilidade de ser feliz.

É que a felicidade não comporta muita análise. Ou se está ou não se está feliz. Qualquer filosofia, silogismo ou comparação é o melhor indicador de que não se está feliz.

Ser feliz é como o céu azul de um dia de primavera. Ou o céu azul de um dia de outono. É azul e basta, sem ciência, sem torcida, sem razão, a não ser ser azul.

A felicidade é leve como o balançar de uma flor de ipê. Mas sua sensação se espalha pelo corpo como um rio que invade a planície. A melhor opção de vida é ser feliz. Pena que não depende só de nós.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.