Os radares começam a multar

[ Crônica do dia 19 de março de 1997 ] Ao contrário do que muita gente pensava, os radares vieram para ficar. E as razões para isto são fáceis de serem explicadas: eles vão rapidamente amortizando o seu custo, rendendo para a prefeitura muito mais do que o seu preço….

Continuar lendo

Piorou a forma de fazer

O trânsito na cidade piorou depois da pandemia. Mas não piorou porque tem mais carros nas ruas, não. Piorou porque piorou a forma de fazer. As pessoas estão mais egoístas, olhando só o próprio umbigo. Dane-se se a lei diz que não pode. “Eu quero, eu faço”. O cidadão vai…

Continuar lendo

A genialidade ao alcance de quase todos

Ser gênio, nas ruas de São Paulo, dentro dos conceitos vigentes, em que gênio é quem faz o que quer porque é legal fazer o que se quer, é fácil. Não requer prática nem experiência. Um pouco de falta de educação, um pouco de barbeiragem, um pouco de burrice e…

Continuar lendo

Maio amarelo deveria ser todo mês

Maio acabou e, com ele, o movimento Maio Amarelo. O Maio Amarelo é um movimento de conscientização para as mazelas do trânsito brasileiro. Este ano, quem sabe em função de todos os desmandos que correm soltos pela pátria amada, o movimento teve pouca visibilidade. Não se falou muito sobre este…

Continuar lendo

Só os radares melhoram

É curioso, mas a CET continua se ultrapassando e fica fácil de perceber, até quando ela tenta ser discreta. É só olhar os radares instalados recentemente para se ter certeza que a companhia inteira pode estar tendo problemas, mas o funcionamento dos radares segue impecável, perfeito, minimamente cronometrado para te…

Continuar lendo

As conversões impossíveis

Eu não sei como elas começaram, mas o fato é que vão se intensificando numa velocidade alucinada, como a que maioria dos carros gostaria de desenvolver pelas ruas de São Paulo. Mas se os carros não conseguem andar como gostariam, aumentando sempre mais a sua velocidade, o número de conversões…

Continuar lendo

As barbaridades no trânsito

Falar do trânsito de São Paulo e que ele é completamente louco, é fácil. Não há o que discutir a respeito. A unanimidade, apesar do Nelson Rodrigues dizer que é burra, no caso é cristalina. Até quem comete os desatinos mais desatinados reconhece o abuso e que está errado. O…

Continuar lendo

Kamikaze

O motoqueiro descia a Avenida Rebouças desembestado. A Avenida Rebouças é meio que uma corrida de obstáculos ou uma pista de skate para motoqueiros desembestados. Ela serve como pista de teste para toda sorte de loucuras, desde desafiar ônibus em seus corredores, arrancar espelhos retrovisores dos carros parados e ameaçar…

Continuar lendo

A modas mudam

Durante décadas, o sonho de consumo era ter um automóvel. O ideal era um carro zero, mas, se não desse, qualquer automóvel servia, desde que funcionasse. A força do desejo era tão forte que em volta do automóvel havia toda uma indústria de acessórios com objetivo de fazer o seu…

Continuar lendo

Conselhos decorrentes da observação

Tem gente que acha que é de propósito, e que eles fazem o que fazem deliberadamente, só para atazanar a vida do próximo, colocando-a em perigo desnecessariamente, por conta de um susto sem sentido, que volta e meia acaba mal. Eu não chego a ter certeza se é ou não…

Continuar lendo