Parque Augusta

Patinou, patinou, mas, depois de décadas de indefinições, politicagem, mobilização popular, sensibilidade política, bom senso e anos de negociações, aconteceu. O Parque Augusta ocupou o enorme terreno na esquina das ruas Augusta e Caio Prado. O antigo colégio das freiras francesas, o antigo internato para onde eram mandadas as filhas…

Continuar lendo

A fábrica de loucos

O trânsito em São Paulo é uma das mais importantes fábricas de criar loucos do mundo. Aqui o limite é absoluta falta de limites. Tudo que alguém imagina que é impossível acontecer, acontece, na cara de todo mundo, sem ninguém ficar espantado, ou ir além de uma balançada de cabeça….

Continuar lendo

Solidão das ruas

As ruas das grandes cidade são cheias. Gente vai de um lado para o outro…sem olhar para o lado, sem olhar que vai e quem volta, como se fosse a única pessoa andando pela calçada. As ruas das grandes cidades são movimentadas, têm barulho, camelôs, vendedores de promessas e milagreiros…

Continuar lendo

Poluição de manhã cedo

Nada é mais impressionante, nem mais belo, do que a linha da cidade vista por quem vem pela ponte da cidade universitária, às sete horas da manhã de um dia bonito de começo de setembro. Cenário de sonho, ou de pesadelo, os prédios surgem do meio de uma nuvem dourada…

Continuar lendo

A nova farda da CET

Tenho visto alguns marronzinhos usando novos uniformes, com outras cores, possivelmente, na visão dos estilistas da companhia, mais dinâmicas, assertivas e aderentes aos uniformes dos super-heróis das histórias em quadrinhos, transformadas em filmes de ação. Não é mais aquele marrom doente do fígado, cortado por barras amarelas, que deveriam parecer…

Continuar lendo

A volta da CET, ou não

Com o abrandamento das restrições por causa da pandemia do coronavírus, o trânsito da cidade voltou rapidamente ao seu normal. Os tradicionais e complicados nós que fecham as ruas para quem vai e para quem vem, tanto faz se na mão ou contramão, estão de novo em quase todas as…

Continuar lendo

Os pedestres

Os pedestres, mesmo parecendo, não são pinos de boliche, para serem derrubados num strike. É verdade que às vezes eles fazem força para ajudar o motorista a conseguir a façanha, mas, de qualquer forma, eles não são peões de boliche e por isso não devem ser derrubados como acontece com…

Continuar lendo

Um convívio cada vez mais caótico

O que era ruim, ficou ainda pior: o trânsito na cidade de São Paulo e até nas calçadas Pelos dados do Detran.SP, a frota de automóveis da capital paulista é de 6,2 milhões de veículos, o que representa 11% da frota nacional de carros (58 milhões), enquanto a frota de…

Continuar lendo

Com a ajuda do Senhor

O Senhor é o meu pastor, nada me faltará; com Deus vou seguro; Propriedade do Senhor Jesus; Se Deus está comigo quem está contra migo? Eu leio e tremo. Tremo de medo, pensando no risco imediato e próximo e nas suas consequências possíveis. Depois, reassumo o controle, me acalmo, e…

Continuar lendo

Semáforos, ora, os semáforos

São Paulo nunca se orgulhou muito deles, mas sempre teve um número bem alto de semáforos, mais ou menos modernos, além dos inteligentes, que sempre foram mais inteligentes que seus programadores, com tudo de dramático que isso trazia para o trânsito da cidade. Com a pandemia, os semáforos, que já…

Continuar lendo