Geleia pra falar com os anjos

Minha prima Maiá tem uma amiga que faz geleias. Tudo bem, eu sei tem muita gente que faz geleias, então só isso não seria motivo para escrever uma crônica. Mas não é por aí. Tem motivo, sim, e a crônica vai justamente tentar explicá-los. Geleia que é geleia é muito…

Continuar lendo

Vida

As grandes tragédias não são as que mancham as páginas dos jornais com o sangue e a dor de milhões de pessoas. As grandes tragédias são as que acontecem para todo mundo e quase ninguém fica sabendo, porque são fatos do dia a dia. As grandes tragédias não têm aviso,…

Continuar lendo

Um caso de amor

São Paulo é um caso de amor antigo. Sólido e resistente como os verdadeiros amores devem ser. Velho da minha idade, ininterrupto, com altos e baixos, como acontece com os grandes amores. Mas, acima de tudo verdadeiro e profundo como os sentimentos de quem ama devem ser. Contraditório, o amor…

Continuar lendo

Viver é cortar amarras

Viver é andar pra frente. Nada na vida, depois que acontece, tem volta. O que existe são no máximo retornos. A água que passa debaixo da ponte é, a cada segundo, outra água. Portanto, o rio que passa debaixo da ponte é sempre outro, correndo pelo mesmo leito, que também…

Continuar lendo

O tempo passa

O tempo passa de várias maneiras. Passa simplesmente envelhecendo e enferrujando a liga que um dia foi forte. Passa acabando o que uma vez existiu e foi bom. Passa sem deixar marcas. Passa ferindo o corpo e a alma, como o corte de uma navalha passando na pele do pescoço,…

Continuar lendo

Luzes

Faróis altos passam pela avenida larga cegando quem vai na outra direção. É impressionante a falta de respeito com que os motoristas usam farol alto, ou não regulam as luzes de seus carros. Luzes fracas balizam o caminho de quem busca alguma segurança pelas ruas de um bairro de periferia….

Continuar lendo

De manhã

De manhã, São Paulo, dependendo do pedaço, nem parece São Paulo. Andando a pé pelas ruas da cidade, perto da marginal do Pinheiros, é possível ver coisas que já não deveriam ser rotina, mas que fazem parte do cotidiano da cidade, como os caminhões que ainda entram pela Valentim Gentil….

Continuar lendo

Amigo é matéria rara

Quero um milhão de amigos… cantava a velha música prometendo o paraíso na Terra e a bem-aventurança no peito de todos nós. Mas entre o otimismo da música e a realidade do seu dia a dia, quantos amigos você de fato tem? Não amigos desses que a gente encontra no…

Continuar lendo

A beleza que destrói

Existe pouca coisa mais bonita do que uma tempestade. Mais bonita e mais apavorante. Quando o mundo cai, no céu fechado que despeja as fúrias do inferno em cima da nossa cabeça, nos pingos grandes iluminados pelos relâmpagos que estouram nos raios, em distâncias cada vez mais perto, a fascinação…

Continuar lendo

O poder do pudim de pão

É impressionante, mas o poder do pudim de pão, mesmo numa cidade como São Paulo, vai muito além do razoável. Só quem comeu pudim de pão na infância entende o que eu quero dizer. Para quem não teve esta sorte, a comparação pode ser feita com quase tudo, menos nhoque,…

Continuar lendo