As paineiras

“Ah, essa impiedade da paineira para consigo mesma!” Mário de Andrade, impresso, e depois apagado, na lareira do salão da frente da casa de meu tio Alfredo. Paineira, na visão do grande escritor, porque com seus espinhos afastava os amigos, machucando-os, quando chegavam perto de sua beleza, ou generosidade. Poucas…

Continuar lendo

Mexericas no lugar das goiabas

Este ano eu comi uma única goiaba no pé. Não sei o que aconteceu, mas a praga que atacou as árvores nos anos passados se alastrou e acabou com as frutas nas árvores. Não teve goiaba para se comer no pé. Consegui uma única, exceção à regra, ao lado da…

Continuar lendo

A apologia da mortadela

Ao longo de sua história o homem foi se sofisticando e sofisticando a sua forma de viver. Das frias e escuras cavernas para as palafitas, das palafitas para casas de pedra, das casas de pedra para os palácios e dos palácios para o projeto Cingapura, nós podemos observar um claro…

Continuar lendo

Eternamente

Quando o caos dominava o mundo e a palavra ainda não fora dita, eu já te amava. Te amava antes da idade das coisas, em ondas que cortavam o universo, trombando com outras ondas, todas correndo sem sentido e sem ordem, exceto aquela em que estava o meu amor. Depois,…

Continuar lendo

A solidão do metrô

Nada é mais atual do que letra da música Eleanor Rigby dos Beatles. Se o cinza era parte constante da vida nos fins dos anos sessenta, o que dizer do cinza dos nossos dias! O cinza tomou a cidade, o cinza tomou a alma, o cinza deixou opaca a vida….

Continuar lendo

Tua presença

Tua presença tem algo de mágico, algo de incomensuravelmente antigo, algo bom como a terra no começo dos tempos, como a vida antes do pecado original. Ela fala de sonhos quando os sonhos eram possíveis, e as aventuras rotina. Tua presença me remete para outro tempo fora do tempo, onde…

Continuar lendo

Por um momento eu achei

Por um momento eu achei… Por um único e rápido momento, eu achei e foi como se o tempo parasse, como se as possibilidades saíssem dos sonhos para entrarem na vida. A noite – era de noite – ganhou um perfume novo que apagou o cheiro de diesel que empesteava…

Continuar lendo

Os fios nas ruas

A rede elétrica suspensa nem sempre é a mais eficiente, nem mais bonita, mas é a mais barata, o que a viabiliza como alternativa para os países não muito ricos, que precisam iluminar os seus céus, atingindo o maior número de moradores possíveis, com orçamentos reduzidos ou muito apertados. Assim,…

Continuar lendo

As coisas são as coisas

Eu tinha um amigo que dizia que “as coisas são as coisas e que contra as coisas não tem nada pra ser feito”. Elas acontecem porque acontecem, sem aviso, sem hora marcada, mas no tempo em que as coisas devem acontecer, sem atrasos ou precipitações. Ele dizia que ninguém foge…

Continuar lendo

A nobre arte de engolir sapos

Desde a expulsão de Adão e Eva do paraíso que a vida do ser humano sobre a terra não tem sido fácil. Vale de lágrima, no dizer dos católicos, inferno vivo na interpretação de alguém mais pessimista, o fato é que depois que nós perdemos o jardim do éden, esta…

Continuar lendo