O pedestre não respeita o pedestre

Respeitar o pedestre é dever de todo motorista. E deveria ser dever de todo pedestre, também. Mas não é. Curiosamente, o pedestre não se respeita. O resultado é um número imenso de pedestres vítimas de acidentes de trânsito. Parte por culpa exclusiva dos motoristas, mas parte, e parte importante, por…

Continuar lendo

O começo do começo

  Em 22 de janeiro de 1532, Martim Afonso de Souza fundou a primeira vila do Brasil, São Vicente, encravada numa ilha no litoral do que viria a ser São Paulo, na Capitania Hereditária de São Vicente, que seria dele. Mas a história não começou assim, nem o navegador português…

Continuar lendo

Dias de sol e névoa

O inverno se caracteriza pela névoa. E pelos dias secos, com sol, mas frios. Faz parte do desenho, não adianta querer fugir. Pode furar um dia ou ouro, mas em algum momento a névoa vem, pega pesado, segura os helicópteros no chão, fecha os aeroportos e cria cenário de filme…

Continuar lendo

Cadê…? Acabou!

  Durante décadas, meu remédio para gripe foi Trimedal. Nunca tive dúvidas, até nas Bermudas eu usei Trimedal, e para um fim quem não era o dele. Meu colírio sempre foi Lerin. Cadê o Lerin? Teve o mesmo fim que o Trimedal: os dois saíram de cena. Refrigerante para acompanhar…

Continuar lendo

Hoje é o dia do bombeiro

Na cidade de São Paulo, a corporação foi criada em 1880 com uma equipe de 20 homens Verdadeiros heróis, a história do Corpo de Bombeiros no Brasil data de 1856, no Rio de Janeiro, quando o imperador, Dom Pedro II, assinou um decreto de Serviço de Extinção de incêndio. Em…

Continuar lendo

O lado bonito da pandemia

  O coronavírus trouxe a morte, a tristeza, o feio, o mal feito e a falta de comprometimento com mais de um milhão de pessoas que contraíram a covid19 e sessenta mil que morreram atingidos pela pandemia. Enquanto governadores e prefeitos se mobilizaram para dar um rumo menos devastador à…

Continuar lendo

Viciado em celular

Tem gente viciada em cigarro. Morrem aos milhares, mas continuam fumando. Outros, perdem no jogo. Dizia meu pai que não há fortuna que resista a uma amante argentina ou a cavalo de corrida. A ideia é completada pelo Seu Luiz, o filósofo do Largo do Arouche: cavalo de corrida come…

Continuar lendo

Os ipês do cemitério São Paulo

  Faz muitos anos que, nesta época, eu escrevo sobre os ipês do Cemitério São Paulo. Regularmente, eles dão show ao se vestirem com suas flores roxas para enfeitar o campo santo no qual estão plantados. Eles têm noção da importância dos mortos na história dos vivos e nos avanços…

Continuar lendo

Um olhar para a casa

A nova rotina que nos foi imposta impulsionou novos hábitos Como todos nós estamos mais tempo em casa, naturalmente, passamos a observar coisas que antes passavam despercebidas para deixarmos os ambientes mais aconchegantes. O velho sofá ganha uma nova roupagem, a parede uma nova cor e os móveis são trocados…

Continuar lendo

As horas e os dias

  Que horas são? Há quanto tempo você está onde você nunca imaginou que estaria? Horas ou dias? Tanto faz, a maior parte do tempo você não percebe que está numa cama mais ou menos confortável, com luz na cara 24 horas por dia, com gente passando e máquinas fazendo…

Continuar lendo