Fila de automóveis

Quando eu era criança, meu pai tinha um Ford 1952, azul marinho. Ainda me lembro de minha mãe dirigindo, comigo ao lado, para buscar meu pai em seu escritório de advocacia ou no Fórum, no centro da cidade. Depois meu pai teve Kombi, em primeiro lugar porque era das poucas…

Continuar lendo

Cruzamentos

A rua Wisard cruza a rua Fradique Coutinho. Qual a relação entre o mágico e o bandeirante que justifica este encontro numa esquina perdida da Vila Madalena? Será a saga da bandeira desvendando os mistérios do sertão e arrancando as lendas do fundo das matas? Será o inefável no peito…

Continuar lendo

Pacaembu

Eu cresci no Pacaembu, para onde meus pais se mudaram em 1.956. Na época várias ruas do bairro ainda eram de terra, e os terrenos baldios serviam de quartel general para os bandos de meninos que os usavam para esconderijos e campos de batalha, dependendo da situação. Era uma época…

Continuar lendo

Amor às árvores

Desde pequeno, na fazenda da família, eu sempre gostei de árvores. Aliás, não era só na fazenda, mas também no Guarujá e no jardim da casa dos meus pais, onde tinha um ipê amarelo no qual nós subíamos com maior tranquilidade, e de onde minha irmã Tiche uma vez caiu…

Continuar lendo

Antes era melhor

Diz a lenda que antes era melhor. A dureza da vida e a nostalgia do passado faz a fantasia voar e sonhar com o que nem sempre foi como o sonho mostra, se é que um dia existiu. Faz tempo, numa conversa sobre os tempos da mocidade, quando ser feliz…

Continuar lendo

2 anos sem Paulo Bomfim

Depois de 23 de maio e antes de 9 de julho, no dia 7 de julho de 2019, o Poeta Paulo Bomfim embarcou na canoa que o levou para sua última jornada e singrou na Monção da Eternidade. Deixou armas, espadas, bacamartes, penas, sonhos, versos e canetas em cima da…

Continuar lendo

Cada moda na sua época

Já teve tempo que as pessoas usavam galochas. Era uma peça impermeável que se colocava nos dias de chuva para não molhar os sapatos e os pés. Era chique, mas chique mesmo eram as polainas brancas sobre os calçados pretos, completando a indumentária do cidadão janota. Hoje, ninguém mais fala…

Continuar lendo

O centro

Não sei de qual eu gosto mais, se do centro velho, velho, ou se do centro velho, novo. Os dois ficam no centro da cidade, um de cada lado do viaduto do Chá. O centro velho, velho, é o que vai para os lados da praça da Sé, passa pelas…

Continuar lendo

Nos dias de inverno

Os dias de inverno em São Paulo oscilam muito. Faz calor na hora do almoço em boa parte deles, ainda que de noite fazendo frio. É do clima da terra e sempre foi assim. Mas que mudou, mudou. Quando eu era criança, a cidade ainda tinha uma névoa do cão,…

Continuar lendo

74 anos do Iate Clube de Santos

O Iate Clube de Santos está completando 74 anos de idade. É tempo! E ao longo das décadas o clube mudou de cara, ganhou musculatura, atualmente tem outras sedes, em complemento à sede original, perto da balsa do Guarujá. Isso mesmo, o Iate Clube de Santos fica no Guarujá. Foi…

Continuar lendo