Cadê…? Acabou!

  Durante décadas, meu remédio para gripe foi Trimedal. Nunca tive dúvidas, até nas Bermudas eu usei Trimedal, e para um fim quem não era o dele. Meu colírio sempre foi Lerin. Cadê o Lerin? Teve o mesmo fim que o Trimedal: os dois saíram de cena. Refrigerante para acompanhar…

Continuar lendo

Você sabe quem foi?

  Quem foi o Barão de Tatuí? Quem foi o Barão de Piracicaba? Quem foi o Barão de Itapetininga? Quem foi a condessa de São Joaquim? O Marquês de Itu é parente da Baronesa de Itu? E o conselheiro Carrão, onde entra nessa história? Será que era amigo do Conselheiro…

Continuar lendo

A cor dos carros

Pouca coisa é mais monótona nos dias de hoje do que a cor dos carros que circulam pelas ruas brasileiras. Cinzas ou pretos. Com raras variações. Alguns vermelhos, bordos ou azuis, mas poucos, muito poucos. A falta de cor deixa mais triste o nó dos engarrafamentos. É como se faltasse…

Continuar lendo

As pessoas passam, mas deixam saudades

A vida é uma correria constante, ninguém sabe muito bem para onde, nem por quê. A única certeza é a morte, mas mesmo ela pode vir num momento inesperado, de supetão, cortando sonhos, encerrando relações, mudando vidas. Nada é certo ou constante. Cada um sabe de si e mesmo assim,…

Continuar lendo

O Itamarati fechou

  É triste, mas o Restaurante Itamarati, no Largo do Ouvidor, depois de décadas como um dos símbolos gastronômicos de São Paulo e um marco na história da advocacia por mais de cinquenta anos, fechou. Fechou e não volta, vítima do Coronavírus e da deterioração brutal do centro da cidade….

Continuar lendo

Tia Maria do Carmo

  Tia Maria do Carmo morreu. Depois de uma longa vida, bem vivida, boa e generosa, aos cento e um anos de idade, tia Maria do Carmo morreu. Minha primeira lembrança dela me remete à fazenda de Itupeva. O Sergio, o Julinho e eu, de noite, na beira do açude,…

Continuar lendo

É bom viver bem

A vida corre em ondas que criam movimentos, empurradas pelas marés. Cada lua deixa o mar de um jeito. Calmo, com ressaca, bom para surfar. O ritmo das águas pode ser comparado ao ritmo da vida. E tanto num como noutro, o bom é o equilíbrio indispensável para não ficar…

Continuar lendo

Boas lembranças

Quem já não sentiu, de repente, um gosto na boca que lhe traz de volta um momento único, pedido no passado? Ou, sem aviso e sem razão, teve a lembrança de um destes momentos que saem dos desvãos da memória como se estivessem vivos? Nessa linha, entre vários inesquecíveis está…

Continuar lendo

A igreja do Embu

Eu conheço a igreja do Embu desde o tempo que o Embu era o Embu e não o “Embu das Artes”, que lhe acrescentaram depois. Perto da idade da cidade e da igreja em particular não é nada, mas volta a uma época em que ir ao Embu era um…

Continuar lendo

Saudades

Confete pedacinho colorido de saudade, de uma pastora que não tem pena de mim que sofro tanto pelo seu olhar. Linda criança, tu não me sai da lembrança, meu coração não se cansa de tanto, tanto, te amar. Ah essa saudade louca que antigamente florescia em sambas e hoje acaba…

Continuar lendo