Como anda sua fé

  Luciano Fleury é quase primo. É primo dos meus primos, por isso frequentava a casa de minha avó Wilma, na Rua Jandaia. Músico, meu colega de faculdade de direito, companheiro de noite, parceiro de música e poesia, é amigo da vida inteira. Por isso não estranhei quando, na hora…

Continuar lendo

O poeta de Sergipe

A primeira emoção que eu tive em Sergipe foi conhecer Aracaju no ano de 1972, num verão onde a vida corria mais mansa e ser feliz ainda parecia fácil. A descoberta da pequena cidade, clara e limpa sob a luz do sol equatorial, foi um impacto bom e profundo, que…

Continuar lendo

Novo trópico Enciclopédia

Quando eu era menino ganhei alguns volumes de uma coleção chamada “Novo Trópico, Enciclopédia Ilustrada”. Nunca tive a coleção completa, mas os volumes que eu tinha, e que eu lia vorazmente, serviram para me dar as primeiras noções sobre quem é o ser humano e a despertar meu interesse para…

Continuar lendo

Orquídeas e margaridas

Ninguém duvida, as orquídeas têm lugar de destaque no longo rol das flores deslumbrantes. Sejam elas quais forem, as orquídeas se destacam, surgem deslavadamente pretensiosas, convencidas de sua beleza e de sua originalidade. Nada que não seja normal no alto mundo das vaidades. Que o diga quem mexe com moda,…

Continuar lendo

Cabelos brancos

  Matéria publicada recentemente dá conta de que a ciência provou que o stress é uma das causas dos cabelos brancos. É uma informação relevante, especialmente para os fabricantes de loções capilares e tinturas para o cabelo. Agora está cientificamente comprovado que é só torcer para o governo caprichar para…

Continuar lendo

Os resedás floridos

  São Paulo é uma caixa de surpresas inextinguível. Quando menos se espera, o que não era para ser é, e vice-versa. Chega sem aviso, sai de trás de um muro, da porta do taxi, da estação do trem. Faz muitos anos, tinha um cidadão que tinha uma chácara no…

Continuar lendo

Os jardins da USP

  Os jardins da Cidade Universitária são lindos, gostosos e verdadeiras caixas de surpresa. Quando menos se espera, surge algo inusitado, como gaviões furando os sacos de lixo porque é mais fácil comer neles do que perseguir os bem-te-vis em pleno voo. A criação de capivaras segue de vento em…

Continuar lendo

Somos todos iguais

  Não conheço muitas pessoas que pensem nos pais como gente igual a eles, capazes de ações e reações como as deles, com desentendimentos e entendimentos iguais aos deles, com a vida muito parecida com a deles. Se não economicamente, sentimentalmente. Se não financeiramente, com sonhos e vontades semelhantes. É…

Continuar lendo

Avós, pais, filhos e netos

  A vida é uma longa corda, que fica sempre mais comprida, adicionando novos pedaços aos pedaços anteriores. Grande parte de nós conheceu pelo menos um avô ou uma avó. Também conhecemos pai e mãe. Depois vieram os filhos, que também têm filhos e, de repente, olhando em volta, descobrimos…

Continuar lendo

Sem horário de verão

  Eu nunca me importei com o horário de verão. Me parecia uma invenção interessante porque prolongava o fim de tarde, mas não era tão bom assim para quem acordava cedo. Então, entre secos e molhados, o horário de verão me era indiferente. Reclamava da escuridão às seis horas da…

Continuar lendo