A feira do Pacaembu

[Crônica de 13 de outubro de 1998] Quando eu era menino, a feira do Pacaembu era enorme e linda. Existe uma beleza toda especial nas feiras livres. Sua apresentação, as bancas, as cores, a forma como os comerciantes anunciam os seus produtos, somados, fazem das feiras livres um universo todo…

Continuar lendo

No princípio e depois do princípio

[Crônica de 12 de janeiro de 2001] No princípio, São Paulo era campo e colinas. A mata estava longe e as várzeas não serviam para nada, exceto inundarem, todos os verões, ano após ano. Do alto da colina do Pátio do Colégio, do alto da península do Mosteiro de São…

Continuar lendo

O largo da matriz paulistano

[Crônica de 2 de março de 2004] As cidades do interior têm no largo da matriz seu coração. É neles que as coisas acontecem, que vida gira, como nos footings dos domingos dos anos 60. Homem andava para um lado e mulher para o outro. O namoro acontecia na hora…

Continuar lendo

Avenida São João fecha aos domingos

A Avenida São João é das mais icônicas da cidade. Tradicional, nasce no coração do Centro Velho e se estende por vários quilômetros, que contam as histórias da história da Avenida. Ou contavam… e podem voltar a contar. A Avenida São João começa na Praça Antonio Prado, com o Edifício…

Continuar lendo

Ciclos

[Crônica de 5 de março de 1999] Primeiro foram as capivaras que chegaram a São Paulo vindas em bandos, subindo os leitos dos rios, que, aqui, correm ao contrário do resto do mundo, descendo para o interior. Assim, as capivaras primeiro desceram os rios afluentes do Tietê, para então subirem…

Continuar lendo

As quaresmas da Imigrantes

Viajar pela Rodovia dos Imigrantes nesta época do ano tem dois lados absolutamente contrários, um muito ruim e outro muito bom. Você pode cair na armadilha de achar que na quinta-feira é melhor e depois descobrir que vai levar mais de três horas para chegar no Guarujá, o que é…

Continuar lendo

João Ramalho

[Crônica de 31 de janeiro de 2003] Se existe alguém que efetivamente participou diretamente da fundação de São Paulo, esse alguém se chama João Ramalho. Sem ele, São Paulo não existiria, pelo menos do jeito que existe, e com a história que tem.  Primeiro branco a se instalar no planalto,…

Continuar lendo

No rumo da loucura

[Crônica de 6 de junho de 2006] Existem várias formas de uma pessoa ficar louca. Algumas boas, outras nem tanto. E algumas verdadeiramente desastrosas, doídas e cruéis, como se pode ver em filmes de todas as origens, porque na vida real elas não acontecem. Eu estou ficando louco de uma…

Continuar lendo

Rua Augusta

[Crônica de 12 de maio de 2004] Quando eu era menino e estudava no Dante Alighieri, era comum, nos anos de ginásio, cabular as aulas no sábado para ir até a rua Augusta, escutar música na HI-FI e, se desse, de vez em quando, levar embora, sem pagar, um compacto…

Continuar lendo

A catedral restaurada

[Cônica de 21 de maio de 2003] Já faz algum tempo que a Catedral da Sé está restaurada. Ficou bonita, ou melhor, imponente. De novo, ela é um símbolo da pujança e do ecletismo de São Paulo. Gótica, num país descoberto mais de 400 anos depois do fim da era…

Continuar lendo