Quem viu e quem vê

  Quem passa pela Avenida Lineu de Paula Machado nos finais de semana e vê as ciclovias impondo sua presença para as calçadas sem carros parados ao lado, não imagina o que era a avenida nos sábados e domingos, quando as corridas de cavalo atraíam multidões para as arquibancadas do…

Continuar lendo

Por que só no Butantã?

É ótimo ver que São Paulo gosta de praticar esportes e que agora temos corridas e provas de todos os tipos quase todos os fins de semana. Onde a coisa pega é que, por alguma razão que eu ainda não entendi, a maioria dessas provas acontece, passa ou interfere na…

Continuar lendo

Interagindo com a cidade

São Paulo pode ser uma fábrica de loucos ou um lugar maravilhoso, onde a vida explode em ações as mais diversas, com diferentes objetivos e pontos de vista, todos tendo em comum a interação com a cidade. Importante é fazer e participar. Importante é buscar melhorar a qualidade de vida…

Continuar lendo

A CET reaparece

Fazia tempo que a Crônica da Cidade não falava da CET, a mais incompetente de todas as incompetentes empresas públicas brasileiras. Não que ela tivesse feito alguma coisa para mudar o quadro e deixar de ser criticada pelas barbaridades que pratica nas ruas paulistanas… A razão foi outra e bem…

Continuar lendo

Dia de chuva

O inverno é a estação seca, ou quase. De repente, chove e chove muito e chove forte. É verdade que, antes das chuvas, normalmente os dias ficam quentes, o que contrasta com o clima esperado para a época do ano, em princípio, frio e seco. Mas a chuva vem e…

Continuar lendo

Fez frio de Europa

Só os especialistas a esperavam tão forte, mas, no momento certo, a frente fria chegou, trazendo neve, geada e as belezas do inverno, somadas a tudo de brutal e devastador que o frio tem. Fez frio de verdade. Alguns dias com temperatura de inverno europeu, como se a Alemanha tivesse…

Continuar lendo

O denso nevoeiro das madrugadas

Esta época do ano é especial. É como se os filmes de terror com Jack, o Estripador encontrassem a locação perfeita, não em Londres, mas em São Paulo, que já foi da garoa, mas só preservou o antigo nevoeiro. Certas madrugadas tem o horizonte mais curto do que um quarto…

Continuar lendo

A violência retorna ao Butantã

O Brasil tem mais de cem mil mortes violentas todos os anos. Dito isso, e sabendo que mais de sessenta mil são assassinatos, discutir a violência que retorna às ruas do Butantã pode parecer muito pequeno. Mas não é. Os assaltos a mão armada são frequentes, especialmente nas ruas da…

Continuar lendo

Rua é rua e calçada é calçada

Quando eu morava na Alemanha, uma bolsista da mesma fundação que deu minha bolsa, morreu depois de ser atropelada por uma bicicleta. A culpa foi dela. Naquela época, as calçadas alemãs já tinham faixas especiais para pedestres e para bicicletas. Ela não sabia disso e estava andando pela faixa de…

Continuar lendo

Avenida Paulista no domingo

Mais do que nunca, a Avenida Paulista é a cara de São Paulo. Quase caótica, com prédios praticamente vazios, escritórios desocupados, o museu mais importante da cidade, alguns centros culturais, escola pública, faculdade privada, bancos que partiram, bancos que ficaram, shopping centers, seguradoras, escritórios em geral, Fiesp, sindicatos, moradores de…

Continuar lendo