A irritação é o padrão nas ruas

  Andar por São Paulo é sempre fascinante. Observar a cidade e seus moradores tem sempre algo novo, algo inesperado ou surpreendente. Não precisa ser grandioso, nem importante, nem fazer diferença na vida de milhares de pessoas. As coisas fascinantes muitas vezes são como as violetas: pequenas, não chamam a…

Continuar lendo

Os motoristas de aplicativo

  A maioria dos motoristas de aplicativo nunca pensou em ser motorista de aplicativo, até precisar ser, por falta de opção. Conversando com eles, descobrimos que são pedreiros, encanadores, carpinteiros, advogados, engenheiros, médicos, empresários de todas as áreas e setores. A maioria, vítima da crise absurda que se abateu sobre…

Continuar lendo

Uma entrevista surrealista

  Faz algum tempo, li uma entrevista de alguém do alto escalão da CET falando sobre os semáforos de São Paulo. Confesso que no começo achei que era uma entrevista sobre o sistema de semáforos de Berlim, mas as coisas estavam tão bem postas e tão perfeitas que fiquei em…

Continuar lendo

Os semáforos continuam abrindo ao contrário

  Não sei por que eu me espanto ou me irrito. Os semáforos continuam abrindo ao contrário porque não aconteceu nada para eles abrirem em outra ordem. Nenhum anjo desceu do céu com sua espada de fogo, nenhuma entidade da mata saiu das florestas da serra para encantar os computadores…

Continuar lendo

Por que só no Butantã?

É ótimo ver que São Paulo gosta de praticar esportes e que agora temos corridas e provas de todos os tipos quase todos os fins de semana. Onde a coisa pega é que, por alguma razão que eu ainda não entendi, a maioria dessas provas acontece, passa ou interfere na…

Continuar lendo

A culpa não é da BMW

  A perua BMW branca atravessou o semáforo vermelho como se não tivesse amanhã, como se seu motorista fosse o dono da cidade. Não é que atravessou entre o amarelo e o vermelho, não. O semáforo estava vermelho e um motoqueiro já estava cruzando a rua quando teve que brecar…

Continuar lendo

Embaixo do Minhocão

  Já foi Costa e Silva, agora é Jango Goulart. Nenhum dos dois merece a honra de dar o nome para o Minhocão, mas o nome do general era melhor, se não for por nada, porque sempre foi o nome do elevado e uma cidade não perde seus referenciais por…

Continuar lendo

Mais CET

  Eu fiquei um bom tempo sem falar da CET e, quem sabe por isso, agora estou sendo castigado, tendo que voltar ao tema que daria um interessante livro de crônicas, que eu até quis publicar, mas o poeta Paulo Bomfim me disse que não valia a pena. Numa quinta-feira…

Continuar lendo

A CET reaparece

Fazia tempo que a Crônica da Cidade não falava da CET, a mais incompetente de todas as incompetentes empresas públicas brasileiras. Não que ela tivesse feito alguma coisa para mudar o quadro e deixar de ser criticada pelas barbaridades que pratica nas ruas paulistanas… A razão foi outra e bem…

Continuar lendo

Subindo de ré

Outro dia dei com um Simca Chambord na Avenida Sumaré. O carro estava inteiro, completo e impecável, com a chapa preta dos colecionadores. Ao ver o carro disputando espaço com os carros atuais, senti um misto de carinho e saudade. Não vontade de voltar no tempo, para os anos 1960,…

Continuar lendo