Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Água faz bem

 

Diz a ciência que sem ela não haveria vida, não só aqui, mas no universo. Sem água não há como a vida vingar, se estabelecer e prosperar, até evoluir para formas mais desenvolvidas e nobres, como o ser humano.

É por isso que a busca pela vida em outros planetas tem como base a procura pela água. E é por isso que Marte de repente se tornou a bola da vez: estão descobrindo água em Marte.

Leia também: Uma água é uma água, a outra é outra

Água é tudo para todos. Sem ela a vida não apareceria e também não prosperaria. Ninguém, nem mesmo os camelos conseguem sobreviver sem água. Em algum momento, ela cobra seu preço e, se não tiver, bau-bau, o encontro é na outra vida.

Quer dizer, parece que é assim porque a ciência está entrando de cabeça no centro da terra e está encontrando vida em lugares inóspitos e impossíveis para nós, como as crateras dos vulcões, onde temperaturas altíssimas nos derreteriam antes de entendermos o que aconteceu.

Será que estas formas de vida vivem sem água? Ou será que existe algum meio de conseguirem água, mesmo em locais tão brutais como as crateras dos vulcões?

Aliás, aqui vale uma correção. Esses lugares são brutais para nós, de acordo com nosso ponto de vista, mas para quem vive lá, brutal é a superfície da terra, com suas quatro estações, poluição e animais estranhos, entre eles, um tal ser humano, que se acha feito à imagem de Deus.

Leia também: Caiu muita água

Como eu sou ser humano, limitado, com uma vaga noção das coisas, que eu não tenho certeza se valerão daqui a cem anos, entre o lugar onde eu vivo e onde eles vivem, fico com a boa e conhecida superfície do planeta.

Fico com o sol do outono, o pôr-do-sol e noites estreladas competindo com noites de lua cheia. Fico com tudo isso, mas sem abrir mão de um bom copo de água gelada pra matar a sede e deixar a vida mais feliz.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.