Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Pobreza e miséria

 

A diferença entre pobreza e miséria não é um prato de comida a mais ou a menos, nem o conforto de um barraco comparado a um cobertor estendido na calçada fria debaixo de uma marquise para proteger da chuva.

A diferença entre a pobreza e a miséria é que na miséria não há dignidade.

Leia também: Debaixo das pontes

Na fome, no frio, na falta de tudo, no corpo massacrado e na alma esquecida não há dignidade.

No mais das vezes, não há nada exceto o desmoronamento total de quem deveria ser um ser humano, ser tratado como um ser humano, mas que perambula sem destino, com passos incertos, muitas vezes sem noção de onde está ou do que está fazendo.

Que perambula com direito a sentir ódio. Ódio da vida e de tudo que o cerca, aumentado pela ausência de compaixão, pela violência que corre solta e cobra seu preço, até para esmolar nas esquinas das grandes cidades.

Se na pobreza tem poesia, na miséria tem o feio e a vergonha gerada pelo feio. Ninguém nunca ouviu um samba falando da tragédia dos moradores de rua com frio debaixo do Minhocão.

Certa vez um amigo espalhou faixas pela cidade. No dia seguinte suas faixas haviam sumido. Ele descobriu que durante a noite haviam sido arrancadas pelos moradores de rua para se protegerem do frio.

Leia também: Tem poesia na miséria

Em época de pandemia e de crise brutal aberta por ela, a diferença entre a pobreza e a miséria deve atingir alguns milhões de pessoas.

Por mais difícil que esteja, tem gente em situação muito pior e sem qualquer chance de sair dela. A hora é de solidariedade e o brasileiro está sendo solidário, mas no futuro não podemos nos esquecer que a misericórdia é mandamento impositivo para o ser humano.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.