Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

A vida cinza

Se de um lado São Paulo consegue apresentar coisas fantásticas, que a fazem uma cidade única na ordem internacional, de outro, tem um lado triste incrustado no peito de certas pessoas e que a faz mais brutal do que a própria violência.

É o lado cinza da solidão, do desamparo e do desinteresse. O lado sórdido da vida. Aquele em que as flores nos desenhos animados murcham e que na vida real não tem flores.

É uma angustia constante que se estende por quilômetros sem sentido, perdida no cipoal que embaraça a alma. Todo lado é solidão. Encontro de ausências, presentes sempre na saudade escondida no fundo peito, ou num gesto que não se completa e na voz que murmura com medo, um pedido de desculpas e uma ameaça.

Mancha física que se espalha em casebres, em apartamentos, em favelas, e nas salas das mansões de cinema que enfeitam os altos ao longo das várzeas.

Não há rico, nem pobre, mas apenas a mesma sensação de abandono que permeia o peito e escorre dos olhos em lágrimas ácidas que secam rapidamente.

É um cinza denso que não deixa espaço para a chuva. Dentro tudo é redemoinho de tempestades elétricas cruzando o cérebro em descargas de luz que cegam e enganam, escondendo a profunda frustração.

Ah, tanta poesia que poderia ter sido e não foi, mal escrita pela falta de talento.

Tanta esperança e tanto encontro sonhado. Tantas possibilidades… E um gosto amargo de saber que não foi, disfarçado na agressividade que esconde a certeza de ter sido passado para trás numa quebrada da vida.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.