Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

A cor de cruzar o semáforo

Qual a cor que lhe autoriza a cruzar os semáforos? Em princípio seria o verde, certo? Errado. Na cidade de São Paulo não existe mais cores para diferenciar as diferentes ações a serem praticadas pelos motoristas nas esquinas com semáforos.

Vale apenas a coragem e o tamanho. E é bom se ter claro que o tamanho costuma ganhar da coragem, ainda que várias pessoas mostrando casos em que acontece o inverso.

São as exceções que confirmam a regra. Por isso não devem ser tomadas ao pé da letra, ao ponto de um ciclista imaginar que vai cruzar na frente de um caminhão de lixo clandestino, com semáforo aberto ou não.

Pode mais quem chora menos. O para-choque do caminhão é um trilho de estrada de ferro, o do ciclista são seus dentes. Não há como os dentes vencerem o aço, mesmo mordendo com força, ou rugindo antes de morder.

Mas o cotidiano é mais previsível e toma como exemplo os automóveis em geral que depois do amarelo mudar de cor, ficando vermelho para eles, insistem em tocar em frente, acreditando que Deus é brasileiro e que do outro lado não vem ninguém com tanta pressa assim, a ponto de passar com o sinal verde, sem prestar atenção nele, que vem vindo com a luz vermelha.

Afinal o que é uma luz vermelha ante a imensidão da cidade e a vontade de um imbecil? Quem somos nós mortais para impedir o outro de seguir em frente só porque ele toca em frente com o sinal vermelho?

Mais vale juízo, cuidado e uma terrina de canja de galinha. Ninguém nunca ouviu falar em alguém se dar mal por ter cautela e tomar canja de galinha. Tenha juízo, pare e espere. Você só pode se dar bem.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

 

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.