Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

A vida é a vida, o resto é enfeite

 

A vida não é fácil para ninguém. Se a vida fosse fácil, não seria vida, seria filme de amor com final feliz. E, mesmo estes, antes do final feliz, trazem uma série de situações dramáticas em que os namorados quase se separam, antes do grande “happy end”, com todos iluminados, olhando o pôr do sol.

Quem sabe, sabe; o resto é tolice. É chute, é bravata, como ameaçar os norte-americanos com o poderio militar nacional. É sem sentido. Para não dizer deprimentemente patético.

Leia também: A vida tem pegada

Se a vida fosse fácil, o inferno estaria vazio, o planeta superpovoado e as pessoas viveriam de férias, com tudo de complicado que sete bilhões de pessoas de férias significaria para o planeta.

A vida é a vida. Ele não foi pensada para ser outra coisa. Se fosse, não seria vida e nasceríamos de outro jeito, sem gritos, sem dor e sofrimento. E não teríamos que tomar vacinas, nem o coronavírus entraria no corpo das pessoas pelo furinho no queixo.
Graças a Deus, a vida é a vida e temos vacinas e, se usarmos a máscara direito, o coronavírus não entra.

Faz parte da história de cada um vencer os desafios, superar as barreiras, ultrapassar as dificuldades e chegar lá. No alto do morro, no pódio de campeão. Porque é isso que nós somos: campeões, enfrentando e vencendo as diversas etapas ao longo da pista.

Leia também: A vida vista do alto

Diz a lenda que história de gente feliz não dá romance. Faz sentido. A felicidade é discreta, não exige fogos de artifício, nem notícia no rádio. Ela apenas se espalha, feito um rio atravessando uma campina, com as águas calmas refletindo o azul do céu.

Viver é muito perigoso, viver é muito complicado. O demo está em cada rodamoinho da estrada, pronto para levar nossa alma.

Siga nosso podcast para receber minhas crônicas diariamente. Disponível nas principais plataformas: SpotifyGoogle Podcast e outras.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.