Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

O buraco malvado

A senhora vai andando pela rua da moda, olhando as vitrines cheias de tentações irresistíveis, quando, de repente, pleq! O barulho vem como um aviso do ato seguinte, quase imediato ao pleq, o desequilíbrio, o tropeção, o tombo e o joelho esfolado, saindo pela meia rasgada.

Foi mais uma vítima inocente do buraco malvado que se instalou na calçada da rua fina, disposto a explorar outras possibilidades, além das tradicionalmente trabalhadas pelos milhares de buracos que infestam a cidade de São Paulo.

Alguns buracos têm noção do próprio tamanho, outros são megalomaníacos. A diferença entre eles é que os primeiros costumam ser mais bem sucedidos, como mostra o pleq e o tombo, acima.

O buraco da calçada, pelo tamanho quase insignificante frente às grandes crateras de São Paulo, se estivesse numa rua não faria nada, não serviria ao menos para o carro cair dentro e dar um pulo um pouco mais alto, só para assustar o motorista. Mas, na calçada da rua fina, ele é terrível. É o dono do pedaço, o malvado, o cruel, o sádico que se diverte assustando e derrubando senhoras e senhoritas, que passam por ele vendo as vitrines.

E isso faz sua fama na comunidade. Ele é tão respeitado quanto as grandes crateras, algumas capazes até de engolir veículos inteiros. Pequeno, o buraco da calçada soube escolher o cenário ideal para transformar sua deficiência em habilidades que pudessem otimizar sua missão, e causar o máximo de dano aos odiados seres humanos que, quando sobra tempo e dinheiro, procuram tapar seus amigos e familiares.

Mas lá vem outra moça, vendo as vitrines. O buraco sorri, sua forma, alongada, na transversal, é perfeita, em breve a moça também vai cair.

Siga nosso podcast para receber minhas crônicas diariamente. Disponível nas principais plataformas: SpotifyGoogle Podcast e outras.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.