Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Outono é outono

Com ou sem mudanças climáticas, outono é outono. Pode variar um pouco mais ou um pouco menos, mas o fato absoluto, direto, irrefutável é que os meses de outono têm como grande diferença a cor do céu. O céu do outono é mais azul, mais profundo e isso já é quase tudo.

É no outono que as paineiras florescem e também fazem a diferença. Na florada, as paineiras ficam cobertas de flores cor de rosa, que atraem os sabiás, que abrem o bico e contam pra elas as novidades do mundo.

Em troca, se escondem no meio das flores e ficam praticamente invisíveis, protegidos dos inimigos naturais e dos não tão naturais assim. Sabiá é bicho esperto. Daqui a pouco começam a cantoria da madrugada para conseguir acasalar e encher os céus da cidade grande com milhares de sabiás laranjeiras, que já moraram nas fazendas, mas hoje não trocam a vida na cidade grande por nada neste mundo.

O outono consegue levar a máxima de que São Paulo tem as quatro estações num único dia à perfeição. No outono, as estações se sucedem regularmente e, num período de 24 horas, verão, primavera, outono e inverno se cruzam e se sucedem, numa festa que aumenta sobremaneira as chances da gripe te pegar.

Por falar nisso, você já se vacinou contra a gripe? Não brinque! Em época de pandemia de coronavírus, se vacinar contra a gripe é medida de sobrevivência. Ato inteligente que separa o mel da azeitona, a saúde da doença, o coronavírus da gripe.

Pelas características da estação, a gripe nada de braçada nos meses de outono. Não só ela, mas as doenças respiratórias em geral. O resultado é a lotação dos hospitais infantis.

Mas o mais típico é que no outono amanhece primavera, ao meio-dia é verão e de noite é inverno. Haja saúde para tanta mistura…

 

___
Siga nosso podcast para receber minhas crônicas diariamente. Disponível nas principais plataformas: SpotifyGoogle Podcast e outras.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.