Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Uma sociedade que se mobiliza

Para ajudar a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo a salvar vidas

Em vários lugares do país, nós temos assistido uma mobilização de empresas de todos os tamanhos, empresários e pessoas físicas para ajudarem as entidades que estão na linha de frente na área de saúde no combate ao coronavírus. Isso não tem sido diferente na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. A pandemia que não tardou em chegar ao Brasil, a cada dia aumenta o número de pessoas infectadas e o seu ápice deve ser registrado nas próximas semanas. As entidades de saúde precisam de ajuda.

A Santa Casa de Misericórdia de São Paulo preparou todos os seus hospitais para o combate ao coronavírus. Ela administra um dos maiores hospitais filantrópicos privados do mundo e com números grandiosos. Com uma equipe de 7 mil colaboradores, por mês são realizados mais de 50.000 atendimentos ambulatoriais e mais de 20 mil atendimentos no pronto socorro, o que a caracteriza como o maior pronto socorro de portas abertas da cidade, além das centenas de cirurgias de todos os tipos que são realizadas mensalmente.

Um volume de atendimento que com certeza aumentará muito por conta da pandemia. Leitos extras de UTI e comuns já foram preparados para atender os casos de internação, e a Santa Casa de São Paulo precisa de doações em dinheiro ou de insumos para enfrentar este novo desafio que foi imposto pelo coronavírus. Um grupo de trabalho foi montado para se dedicar à captação e às doações.

Muitas doações já foram realizadas por empresas e pessoas de todas as classes sociais, mas é necessário mais. E não apenas empresas podem fazer doações, mas também pessoas físicas, independentemente do valor que puderem disponibilizar. Para colaborar, acesse o site: www.santacasasp.org.br/doe, a Santa Casa de São Paulo agradece, a população também e por favor, se puder, compartilhe.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.