Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Hoje é o dia do bombeiro

Na cidade de São Paulo, a corporação foi criada em 1880 com uma equipe de 20 homens

Verdadeiros heróis, a história do Corpo de Bombeiros no Brasil data de 1856, no Rio de Janeiro, quando o imperador, Dom Pedro II, assinou um decreto de Serviço de Extinção de incêndio. Em São Paulo, a primeira corporação foi criada em 1880, após um incêndio no largo São Francisco, em um acervo da Faculdade de Direito. Até então, a cidade tinha registrado poucos incêndios e a primeira corporação foi formada por 20 homens.

Hoje os números são grandiosos. Somente no Estado de São Paulo, são 21 grupamentos e 8,2 mil bombeiros. No ano passado, eles socorreram 247,3 mil vítimas e participaram de 988 mil atividades de prevenção de incêndios. Mais do que apagar incêndios, os bombeiros também fazem serviços de guarda vidas, salvamentos aquáticos, resgates em altura e incidentes com produtos perigosos, vistorias técnicas e atendimento pré-hospitalar, entre outros.

Arriscando diariamente as suas vidas para salvar e proteger as pessoas, hoje é comemorado o Dia do Bombeiro Brasileiro, uma homenagem a esses heróis que merecem todo o nosso apoio. Inspiração para muitas crianças que sonham em ser bombeiro quando crescerem, eles também foram fonte de inspiração para muitos filmes que retrataram a bravura desses heróis, como Torre Gêmeas, Brigada 49 e Alta Frequência, apenas para citar alguns deles.

E nessa nobre profissão que requer bravura de homens e mulheres, em que ainda prevalece a figura masculina, 91,5% do Corpo de Bombeiros no Brasil é composto por homens, eles também aprendem no dia a dia a lidar com a superação. Cada um deles carrega histórias de glórias e tristezas, mas que para quem foi salvo, com certeza é um marco de uma nova vida.

Você conhece algum bombeiro? Compartilhe:

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.