Ó pro filho pródigo!

A parábola do filho pródigo é das passagens tocantes do Novo Testamento. A volta arrependida do filho que durante anos gastou o dinheiro do pai, caiu na gandaia, deu o toco em todo mundo, fez e desfez e, quando ficou na pior, volta para casa faz chorar. Cena de filme…

Continuar lendo

O calor ainda está no começo

Você não conhece as dunas do deserto do Saara. As montanhas de areia que os tuaregues atravessam montados em camelos, seguindo milenarmente as rotas das caravanas que varam o areal de oásis a oásis, numa peregrinação infindável, indo e voltando, na toada de seus antepassados, desde sempre, desde antes das…

Continuar lendo

Nossa Senhora da Saúde

A região que vai do Jabaquara até o final da avenida Paulista é marcada por igrejas, que se espalham, como as paradas da paixão, ao longo do caminho. A mais conhecida é com certeza São Judas, e a seguinte, nesta ordem de grandeza, quem sabe, seja a capela do Colégio…

Continuar lendo

Os primeiros moradores

Ao fundar a vila de Piratininga, no planalto do mesmo nome, mas do outro lado em que ficava Santo André da Borda do Campo, Martim Afonso de Souza não criou simplesmente um aglomerado com meia dúzia de casas de pau a pique e sapé, sem ninguém que as habitasse. Tanto…

Continuar lendo

Nas trevas das ruas

O que será que está por trás das trevas das ruas paulistanas? Não o que está escondido nas ruas e nas suas quebradas, porque isso quase todo mundo sabe que são os assaltantes e os bandidos mixurucas, que precisam das trevas para se esconder e assaltar quem passa perto. Não…

Continuar lendo

O lado belo da vida

A vida é complicada, difícil, cheia de pedras no meio do caminho. É verdade, viver é muito perigoso, já dizia Riobaldo Tatarana, em “Grande Sertão Veredas”, guerreando pelo sertão das Gerais. Só bobo acha que viver é fácil. Depois da infância, a felicidade fica mais rara, arisca, mas não quer…

Continuar lendo

A capela do Morumbi

Quem vai pela avenida Giovanni Gronchi, do Palácio para a Marginal, vê, à sua esquerda, um pouco antes de chegar na casa da Fazenda, uma capela em estilo colonial, bem simples. Uma capela típica de fazenda, o que ela, pela proximidade com a casa da Fazenda do Morumbi, no passado…

Continuar lendo

Sudoeste no Guarujá

O dia amanhece sonso, cinza claro, com cara de quem não sabe para onde vai. Mas é só pra enganar. Desde antes da manhã o dia sabe o que vai acontecer e se prepara com todo o cuidado, pensando cada detalhe, na onda que começa a subir, na cor do…

Continuar lendo

O mundo tá louco

O mundo tá louco. E a grande culpada não é a pandemia. Ela ajudou, e muito! Afinal, o isolamento é uma forma de tortura consistente e eficaz, mas não foi ela que estartou o movimento, que deu o primeiro empurrão, que disse “agora vamos pular de cabeça”. Não, a pandemia…

Continuar lendo

Eu te amo como você é

Você não é linda, não brilha nas capas, nem nas páginas centrais das revistas de mulher nua, não dá entrevistas retumbantes, nem desfila como madrinha de bateria nas escolas de samba do Rio de Janeiro. Você não explode nas passarelas da moda, nem tem mais idade para começar uma carreira…

Continuar lendo