Neve tropical

  A neve caiu em flores brancas dos galhos do ipê. Cobriu a calçada e criou um cenário de inverno nórdico, como que prometendo para depois, para a madrugada da noite seguinte, uma aurora boreal. Leve, branca, limpa como a neve antes de ser manchada pela vida da cidade, a…

Continuar lendo

Minha ternura

Minha ternura para os passarinhos que morrem de frio nas noites de inverno. Para as flores dos hibiscos da USP que caem e ficam na calçada, sendo pisadas, até desaparecerem. Minha ternura para o capim amarelado por causa do frio, da falta de chuva e porque é assim mesmo que…

Continuar lendo

Bom é comer pitanga no pé

  Tem quem diga que bom, mas bom mesmo, é chupar laranja lima. Tem quem prefira abacate com açúcar e limão e os que gostam de morango com creme de leite. Tem quem prefira mamão papaia e quem prefira mamão tradicional, do vermelho, bom pra fazer cara de fantasma, iluminado…

Continuar lendo

O que podia acontecer, aconteceu

  O que podia acontecer, aconteceu. Os testes com a vacina de Oxford estão suspensos. Quer dizer que, mesmo que a vacina volte a ser testada, seus prazos serão atrasados, o que torna muito difícil o Ministro Interino da Saúde cumprir sua promessa e vacinar todo mundo em janeiro do…

Continuar lendo

Certos dias de inverno

A letra de “Califórnia Dreaming” fala de um dia de inverno especial ao som de uma das músicas mais belas da segunda metade do século 20. Clássica entre os clássicos do rock, suas diferentes gravações levam a imaginar como seria este dia especial, e se ele é uma exclusividade da…

Continuar lendo

As tipuanas no inverno

O inverno, até quando faz calor, como acontece nos invernos brasileiros, é a estação em que o verde seca, perde o brilho, como se a intensidade da vida ficasse mais fraca. A grama perde o viço, as folhas das árvores caem ou amarelecem e até os pinheiros que ficam verdes…

Continuar lendo

A névoa

A névoa é marca registrada de São Paulo. Ou melhor, a neblina era marca registrada da cidade. Mas a neblina tradicional, aquela que era densa de quase ser cortada com faca, acabou faz tempo. Foi substituída por uma névoa que normalmente nem de longe lembra o cenário de filme de…

Continuar lendo

A pitangueira chegou antes da hora

  Não me pergunte o porquê, eu não sei. De verdade, eu não sei. Não faço a menor ideia do porquê a pitangueira decidiu chegar antes da hora e carregar seus galhos de frutas, sem combinar nada, nem avisar as amoreiras, que tradicionalmente sempre deram frutos antes das pitangueiras. Tem…

Continuar lendo

O dinossauro e o balé

O bailado segue pelo céu como se um enorme palco fosse montado só para mostrar a graça e a poesia do voo das grandes aves. Para cá e, depois, lentamente para lá, subindo e descendo ao sabor das correntes aéreas que mudam o rumo das aves caprichosamente, fazendo com que…

Continuar lendo

Selene e seus planetas

  Os planetas têm luas que giram ao seu redor, mas nesta época, de inversão total da inversão invertida de tudo que está ao contrário, a lua cheia – Selene – decidiu que era hora de mudar o jogo e aparecer no céu como a curva fora do ponto, com…

Continuar lendo