Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

As mil utilidades do celular

Celular serve para tudo, até para falar! Isso mesmo, o seu telefone celular, por incrível que pareça, permite que você fale com outra pessoa, num telefone fixo ou noutro telefone móvel.

Até poucos anos atrás, telefone só falava. Você ligava, primeiro girando a manivela, depois o disco, depois apertando o botão, e falava com quem atendia do outro lado, fosse a pessoa que você queria ou não. Alguém atendia, você dizia alô, o alguém dizia alô e começava um diálogo que poderia ou não evoluir satisfatoriamente.

A comunicação telefônica era absolutamente, integralmente, completamente verbal. Ninguém ousaria imaginar que pudesse ser diferente. Não era e ponto. E mesmo a comunicação verbal poderia ser problemática. Durante décadas do século 20, parte dos telefones funcionou com uma manivela que conectava com uma telefonista, que completava a ligação, que, em função do barulho na linha, poderia ser incompreensível.

O resultado é que as pessoas acabavam subindo o tom como se gritar pudesse melhorar a qualidade da ligação. É por isso que até hoje os mais velhos, quando acham que não estão sendo entendidos, costumam aumentar o volume da voz, é como se o grito tivesse o dom de fazê-los serem compreendidos pelo outro lado.

Só que se no passado os telefones falavam, hoje os telefones até falam, mas é a exceção da regra. Atualmente, os telefones são centrais com capacidade muito superior à dos computadores de alguns anos atrás.

Mandam mensagens, têm imagem, falam de graça e sem ser de graça, fotografam, ensinam o melhor caminho, trocam e-mails, permitem o embarque nos aeroportos, etc. É tanta coisa que eu realmente fico impressionado de sobrar tempo até para falar.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.