Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Paulo Bomfim um ano depois

 

Faz um ano que o Poeta Paulo Bomfim entrou na eternidade. Faz um ano que ele trocou o caminho do Tribunal de Justiça pelo caminho do Peabiru e foi se juntar aos seus antepassados que não voltaram do Sertão.

Leia também: A família segue em frente

Faz um ano que os almoços no apartamento da Rua Peixoto Gomide deram lugar ao terraço da Fazenda Himalaia, que vive nos sonhos e, em vez de se sentar em sua cadeira de todos os dias, o Poeta agora se senta numa cadeira de balanço no terraço da sede da fazenda e olha a mata no morro ao longe e ouve o urro das onças que vivem na imaginação das crianças.

Faz um ano que a vida de São Paulo ficou mais triste e sua memória mais pobre. Com Paulo Bomfim se foi parte das histórias que fizeram São Paulo uma cidade mais humana e mais quente, mais aconchegante, mais louca e mais terna, com personagens que ele descrevia como se estivessem vivos na sala do apartamento da Peixoto Gomide.

Faz um ano que não tem mais os almoços com convidados nas quartas-feiras, nem os meus almoços com ele nas segundas-feiras.

Não tem mais a sala do apartamento da Peixoto Gomide, com os objetos de seus antepassados, nem as fotos de seus avós, nem a placa singela, encostada nos livros do pequeno escritório, indicando o consultório de seu pai: “Simeão Bomfim, médico e operador”.

Leia também: Tia Maria do Carmo

Faz um ano que perdi meu amigo e confidente, o homem com quem eu abria meu coração e falava livremente sobre as minhas dúvidas, os meus medos, os pequenos feitos e as grandes alegrias. E ele me contava sua vida e suas dúvidas e seus medos e como ele tocava em frente. Eu aprendi com Paulo Bomfim que viver é mais do que dizer que é; mais do que fazer, é ser honesto consigo mesmo e deixar a vida fluir e sonhar e acreditar no sonho.

Paulo Bomfim há um ano vive na eternidade, mas todos os dias ele me visita e conversa comigo e eu continuo aprendendo.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.