Zuza homem de mello

  Diz a voz do povo que para morrer basta estar vivo. É verdade, até porque a alternativa é impossível. Quem está morto não morre de novo, exceto Quincas Berro D’água, herói das ladeiras de Salvador, boêmio com conto de Jorge Amado, narrando suas duas mortes. Leia também: A vida tem…

Continuar lendo

A doença castiga e os sintomas persistem

  A afirmação de que a pandemia do coronavírus é uma gripezinha que só mata os bundões que não são atletas é desmentida pela memória e a saudade dos mil mortos por dia que envergonham o Brasil. Não tem nada que poderia ser feito, iam morrer de qualquer jeito… Mentira!…

Continuar lendo

É só mais uma praga

  Não tem jeito, acabou. A pandemia foi pro saco. O brasileiro incorporou o coronavírus à sua rotina. É só mais uma pedra no meio do caminho. Ninguém mais presta atenção no vírus. É só olhar como as pessoas usam as máscaras, quando as usam. Vai no queixo, como se…

Continuar lendo

Deus tenha piedade do Líbano

  Minha compaixão, meu pensamento e meu abraço mais apertado para o povo do Líbano, brutalmente atingido por mais um drama capaz de horrorizar e amolecer o coração mais duro. A explosão que destruiu o porto de Beirute pode ser comparada à queda das Torres Gêmeas. Foi impressionante, apavorante e…

Continuar lendo

Um crime bárbaro

  É estarrecedor você ficar sabendo que uma jovem foi morta numa trilha entre as praias de Maresias e Paúba, no litoral norte de São Paulo. Praia, mar, litoral são sinônimos de paz, tranquilidade, ondas quebrando na areia e a possibilidade da felicidade surgir sem aviso, trazida numa nuvem passando…

Continuar lendo

Paulo Bomfim um ano depois

  Faz um ano que o Poeta Paulo Bomfim entrou na eternidade. Faz um ano que ele trocou o caminho do Tribunal de Justiça pelo caminho do Peabiru e foi se juntar aos seus antepassados que não voltaram do Sertão. Leia também: A família segue em frente Faz um ano que…

Continuar lendo

O coronavírus mata, mesmo

  Uma coisa é ouvir falar, outra é sentir na pele ou muito próximo. Todo mundo sabe que bala de revólver mata, mas só entendemos o que isso quer dizer quando alguém que conhecemos é vítima de um assalto e é baleado. A mesma regra se aplica às doenças. Uma…

Continuar lendo

Tia Maria do Carmo

  Tia Maria do Carmo morreu. Depois de uma longa vida, bem vivida, boa e generosa, aos cento e um anos de idade, tia Maria do Carmo morreu. Minha primeira lembrança dela me remete à fazenda de Itupeva. O Sergio, o Julinho e eu, de noite, na beira do açude,…

Continuar lendo

E as pessoas somem

É incrível, mas todos os dias pessoas desaparecem sem deixar rastro. Saem de casa e não voltam. Em algum lugar no meio do caminho acontece alguma coisa que ninguém sabe o que é, e a pessoa desaparece, engolida pela cidade grande. Numa época em que as câmeras são as donas…

Continuar lendo

A Olímpia mudou de endereço

  A Olímpia mudou de endereço. Depois de uma vida inteira em Louveira, ela decidiu subir para o céu para cozinhar para os anjos. É uma perda imensa para quem gostava dela e não vai mais ter a figura doce, com o sorriso bom por perto nas horas fáceis e…

Continuar lendo