Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Antes é cedo, depois é tarde

 

Chora mais quem pode menos. A regra é antiga como o mundo e quem duvida dela acaba chorando, porque nessa vida não tem perdão, quem não aprende paga pelo erro e paga caro, dependendo da situação.

Todos têm sua hora e sua vez, já dizia Augusto Matraga, que encontrou a sua num duelo numa quebrada no interior de Minas Gerais.

Leia também: Outro lado do tempo

A vida segue no ritmo da vida. Ninguém adianta, nem atrasa nenhum fato, nenhum momento. Cada segundo tem sua história e ela não é igual para cada um de nós.

O que não tem como negar é que, tanto faz todos os tantos fazes, quando chega sua hora, é melhor estar pronto, com o sapato calçado e a carteira no bolso. O pior que pode acontecer é ser pego desprevenido, deitado na cama, de calça aberta e meio dormindo.

A vida não pergunta, nem perdoa. Também não é má, nem boa. É a vida, simplesmente isso! A vida é a vida e cada um tem sua sina.

Apressar o passo não leva a nada e tentar atrasar também não. Nem um, nem outro tem o poder de mudar seja lá o que for. O que vale é como você faz, todas as vezes que faz. Quem planta semente boa colhe safra boa, quem planta erva daninha colhe erva daninha.

Todo o mais tem pouca ou nenhuma importância. A porta da rua é a serventia de quem não está satisfeito.

O sol nasce e se põe todos os dias, mas não são todos os dias que têm lua cheia. Não adianta tentar mudar a natureza das coisas. Ela se mantém, não importa o que você faça.

Leia também: Saudades não é voltar no tempo

Por isso, não tenha pressa, nem seja atrasado. A hora é a hora, antes é cedo, depois é tarde. Todo combinado é barato. Caro é quando o preço chega sem ninguém estar esperando. Não se afobe, nem perca a hora. Tudo que você fizer vai acontecer quando tiver que ser.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.