Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Urubus

 

Urubu é bicho feio, tem cabelo até no joelho. Gente mais velha vai se lembrar da música e vai concordar que urubu não é paradigma de beleza.

Pelo menos da beleza que coloca os beija-flores nos primeiros lugares, seguidos de aves com plumagens deslumbrantes, como as araras, os cardeais e os periquitos.

Leia também: O urubuporto

Mas um urubu voando muda tudo. Poucos voos são mais harmoniosos, poéticos, ricos em manobras e bonitos do que o voo do urubu.

Grandes, fortes, resistentes a tiros de carabina calibre 22, os urubus têm papel da maior importância na natureza. Sua ação como aves carniceiras é das mais eficientes formas de controle de pragas e doenças de todos os tipos.

No interior, o voo de um grande número de urubus sobre um determinado lugar significa que algum animal morreu. Tanto faz, vaca, cavalo, ovelha ou animais selvagens, tão logo morrem, atraem bandos de urubus que, em pouco tempo, devoram toda a carne e deixam apenas os ossos brancos lembrando o banquete terminado.

Nas grandes cidades, os urubus gostam dos lixões e seus entornos. A fartura de alimento é tanta que eles não precisam mais voar horas e horas, plainando lentamente, procurando um animal morto para se fartar na carniça. Nas cidades, eles voam por prazer. Sabem onde tem alimento.

Leia também: O urubu é nosso

Os urubus são pilotos extremamente competentes. Não só dominam as correntes aéreas e planam como nenhum planador é capaz de fazer, mas dominam as técnicas das manobras, das mais simples às mais complicadas.

Quem passa frequentemente pela ponta da Cidade Universitária sabe o que eu estou dizendo. Ver essas aves pousarem nas luminárias dos postes da ponte é fascinante. Manobra de profissional bem treinado.

Siga nosso podcast para receber minhas crônicas diariamente. Disponível nas principais plataformas: SpotifyGoogle Podcast e outras.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.