Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

O jeito foi devolver

Faz pouco tempo contei como o Izidoro, sócio da academia onde auto inflijo minha tortura semanal, comprou um ventilador através de um dos mais renomados sites de compras do Brasil e como o ventilador comprado chegou, faltando um pequeno detalhe, por acaso, as pás.

Contei também como o vendedor tentou chantagear, colocando como condição para enviar as pás a retirada da reclamação do site.

Parecia que o negócio ia girar, mas não girou. O vendedor não entregou as pás e o Isidoro decidiu devolver o meio ventilador.

No mundo, as compras pela internet vão crescendo em padrões vertiginosos. No Brasil, pela quantidade de mensagens que recebi com gente contando experiências ruins, a situação é exatamente o contrário.

Você pode se interessar:

Ou melhor, a quantidade de golpes, mau atendimento e picaretagens de toda ordem afastam o brasileiro de um canal cômodo e que poderia ser seguro se não tivéssemos tantos maus empresários, que não levam o próprio negócio a sério e adoram passar a perna no próximo.

Acidentes acontecem e falhas também. Nada errado com isso. O que não é tolerável é o comportamento desse fornecedor do interior de São Paulo que, pelo jeito, tem no mau atendimento uma forma de ganhar dinheiro.
Pode parecer incrível, mas tem gente assim. Que adora uma picaretagem e não perde o sono com o passa moleque por causa de uma venda malfeita e que não vai ser corrigida.

O duro é que esses picaretas não percebem que sua ação atrapalha e compromete o canal de vendas de milhares de empresas sérias que se valem da internet para vender seus produtos.

Um amigo diz que não é que eles não percebem. Eles estão pouco se lixando. Então, é isso aí, Isidoro, deixe a reclamação bem clara para as pessoas saberem de quem compram, antes de comprarem.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Ouça esse conteúdo:

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.