Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

A CET reaparece

Fazia tempo que a Crônica da Cidade não falava da CET, a mais incompetente de todas as incompetentes empresas públicas brasileiras. Não que ela tivesse feito alguma coisa para mudar o quadro e deixar de ser criticada pelas barbaridades que pratica nas ruas paulistanas…

A razão foi outra e bem mais prosaica: preguiça de continuar batendo numa tecla que há mais de 20 anos só serve para atrapalhar o cidadão.

Leia também: A CET não tem jeito

Então, por que voltar a falar da CET? Se ela é explícita em sua incompetência, por que trazê-la de volta para as ondas do rádio?

A CET continua passando todos os limites. Bastaria ela continuar implicando com o Governador para justificar seu retorno. Mas há mais, muito mais! Se bem que pouca coisa seja nova ou inédita…

A CET segue firme na toada de manter os semáforos sem sincronização. Não é preciso nenhum malabarismo para cair numa avenida em que as luzes acendem ao contrário. E para quem se contenta com rua de bairro, a Mourato Coelho, na Vila Madalena é mais do que suficiente para mostrar como a sincronização invertida atrapalha a vida das pessoas.

Leia também: Pasme, não é obrigatório

Quem passa pela Marginal Pinheiros, mais uma vez com a vida complicada pela volta as aulas, vê regularmente os marronzinhos, sós ou aos pares, num infindável bate papo, em vez de se preocuparem com o tamanho dos engarrafamentos que passam por baixo, sobem e descem as pontes que cruzam a via.

Mas melhor ainda é ver os maus exemplos dados pelos carros amarelos da gloriosa companhia. É comum estarem parados em cima das faixas zebradas ou em vagas especialmente destinadas a determinadas categorias de motoristas protegidos pela lei.

Nada como as velhas rotinas para dar segurança à vida. A CET continua a CET. Pode ser ruim para o trânsito, mas sossega o espírito.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.