Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Tem certas luas

 

Tem certas luas que vão além de uma imagem bonita, iluminada pela dona da noite, tanto faz em que ciclo. De lua nova a quarto minguante, a lua, em certas noites, ultrapassa o que é esperado dela para se transformar em obra de arte natural, mais bela do que a mente alcança ou consegue imaginar.

Leia também: Os ciclos da lua

Normalmente, sem razão mais forte, olhamos para o céu e damos com ela, com cara de quem não quer nada, mas que sabe que é a dona da noite. Desde os tênues contornos da lua nova, a lua se ultrapassa, nas pequenas cimitarras da lua crescente, no esplendor da lua cheia, na tranquila nostalgia da lua minguante. Para tudo recomeçar, não em ordem crescente, mas de novo, sem aviso, numa noite que deveria ser igual a todas as outras noites, mas que não é porque a lua decidiu que aquela é a sua noite e ela faz toda a diferença.

Quantas noites foram únicas na estrada aberta pelo brilho da lua nas águas do mar? E quantas vezes ela brilhou tranquila em cima de um terreiro de café perdido na lembrança? Ou iluminou o caminho de volta pra cavalgada que foi ver o por do sol?

Mas se a lua cheia transforma em prata o reflexo de um lago numa noite sem vento, a lua nova promete, em seu delicado anel, a eternidade do universo.

A lua crescente abre a possibilidade de todas as possibilidades, cortando o véu escuro das imensidões cósmicas com a lâmina afiada da cimitarra voltada para cima.

Leia também: 50 anos atrás o homem chegou na lua

E a lua minguante, tarde na noite que é mãe de todas as noites, fala de caminhos percorridos, de vidas que vivemos e abre na alma a vontade de dividir e de beber um vinho pra comemorar as pegadas na poeira das estradas e o suor que rega a poesia debaixo da sombra das árvores.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.