Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

O inusitado acontece

 

Eu não sou de perder coisas. Pelo contrário, normalmente, sei onde coloco óculos, canetas, livros, etc. Quem sabe, a razão disso seja eu ser sistemático e funcionar mais ou menos binariamente. É ou não é. Está ou não está. É aqui ou não é aqui. E assim sucessivamente.

Às vezes esqueço onde deixei os óculos, mas rapidamente os encontro. Minhas rotinas não variam muito e sem óculos eu me sinto nu. Então, quando os deixo em algum lugar, percebo depressa que estou sem eles e a busca fica fácil. É só refazer o caminho inverso e eles aparecem.

Leia também: Ponto de vista

Mas outro dia aconteceu um fato inusitado. Me levantei, fiz o caminho de todas as manhãs do quarto para o banheiro, liguei o celular, coloquei o moletom para minha caminhada matinal e de repente percebi que estava sem os óculos.

Seguindo a rotina, fiz a rota inversa e nada. Voltei a fazer a rota original e nada. Entrei no quarto, de onde tinha certeza que tinha saído com os óculos no nariz e nada.

Revirei o closet e nada. Olhei nas prateleiras altas, abri as gavetas e armários do banheiro, olhei em cima do móvel do corredor, fui até onde eu tinha certeza que não tinha ido antes e nada.

Os óculos sumiram sem deixar rastros, o que é naturalmente impossível, até porque fantasmas, gnomos e duendes têm mais coisas pra fazer do que esconder os óculos de um simples mortal.

Para não pirar, fui dar minha caminhada. Na volta, recomecei a busca. Acordei minha mulher, olhei debaixo dos lençóis, embaixo da cama, da cadeira do quarto e nada.

Leia também: Dedão nos óculos

Meio que sem porquê, cocei a perna em cima do pé e senti algo estranho. Não me pergunte como… os óculos foram parar dentro de uma das pernas da calça do moletom. E sem eu sentir. Eu não tenho ideia.

Siga nosso podcast para receber minhas crônicas diariamente. Disponível nas principais plataformas: SpotifyGoogle Podcast e outras.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.