Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

O seu papel nas enchentes

Quando elas acontecem, a culpa não é só da prefeitura

Todos os anos a história se repete, o verão chega com altas temperaturas e as frequentes pancadas de chuva, resultando em vários pontos de enchentes. Mas neste ano a história está diferente, pelo menos em São Paulo. Por aqui, as temperaturas já chegaram à marca de quase 40 graus e as pancadas deram lugar a tempestades. Ruas antes “imunes” passaram a alagar e todos nós temos uma grande responsabilidade com relação a isso.

Basta começar o período mais quente do ano que já sabemos o que está por vir e, invariavelmente, culpamos a prefeitura quando as enchentes acontecem. Claro que é de responsabilidade dela a limpeza de bueiros, mas é grande a nossa em manter a ordem, simplesmente não colocando o lixo para fora muito antes do horário de coleta ou jogando lixo nas ruas.

Você pode se interessar:

Ainda me surpreendo ao ver que existem pessoas que simplesmente abrem os vidros dos seus carros com este propósito e com aquelas que passeiam com seus cachorros e decidem por dois caminhos: simplesmente ignoram quando eles fazem cocô ou o catam em um saquinho e deixam por ali mesmo, sem pensar no outro e que isso também contribui para entupir os bueiros.

Também é comum, você já deve ter visto isso, o lixeiro não recolher os sacos que ficam nas calçadas atrás de carros. Dando, assim, duas opções para nós: guardá-lo e colocá-lo para fora no dia de coleta ou deixamos na calçada aonde ele ficará por dois dias. O que falta mesmo é uma consciência coletiva, ainda mais que não podemos negar que as mudanças climáticas são uma realidade.

O verão está cada vez mais quente, as chuvas tendem a ser mais severas e os ventos mais intensos, a exemplo do que já vem acontecendo na cidade de São Paulo. E mesmo que se todos os bueiros estivessem limpos, eles não conseguem dar vazão para tanta água. Por isso, temos que fazer cada vez a nossa parte!.

E como você contribui? Compartilhe:

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.