Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

O desperdício de alimentos no mundo

Brasil ocupa o 10º lugar no ranking, com 23,6 toneladas por ano jogados no lixo

Enquanto milhares de pessoas passam fome no mundo, o volume de alimentos desperdiçados anualmente é alarmante. Somente em 2019 foram 913 milhões de toneladas, o que representa 17% da produção total de alimentos do mundo jogadas no lixo. Isso equivale a 23 milhões de caminhões de 40 toneladas carregados com alimentos. Alinhados, eles dariam a volta na Terra sete vezes, segundo o “Índice de Desperdício de Alimentos 2021”, do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Do campo até a mesa, o desperdício acontece em todas as etapas. O maior peso está entre as famílias. Pelo estudo do PNUMA, que avaliou 54 países ao redor do mundo, elas respondem por 61% do desperdício, o setor de serviço de alimentos, tais como restaurantes e hotéis, corresponde a 26% e o comércio, supermercados ou pequenas lojas, responde por 13% do total.

Curiosamente, o levantamento constatou que não importa a renda, tanto em países de renda alta, média e baixa, os níveis de resíduos domésticos são similares. O Brasil ocupa a 10ª posição no ranking de países que mais desperdiçam alimentos no dia a dia, totalizando 23,6 toneladas por ano. Para reverter esse cenário não só por aqui, mas globalmente, o estudo sugere uma mudança revolucionária nos hábitos de aquisição, preparo e uso dos alimentos.

Entre eles, planejar a compra, evitar compras por impulso e atentar-se ao prazo de validade. Em casa, calcule as porções que serão consumidas para que não haja excessos. Verifique ao alimentos que estão por vencer e se não consumi-los em breve, veja se pode congelá-los. Outra dica é verificar a temperatura da geladeira, o indicado é ela funcionar a 5°C para que os alimentos durem.

Além do desperdício de alimentos afetar o nosso bolso, já que o aumento da demanda impulsiona os preços dos produtos, reduzir as perdas poderia diminuir os custos de produção e o impacto social seria enorme, uma vez que milhares de pessoas não têm acesso a alimentos de qualidade no mundo.

O que você faz para não desperdiçar alimentos? Compartilhe:

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.