Mosquito também gosta de praia

Pois é, este ano, além da música infernal que sai de centenas de caixinhas espalhadas pelas praias, cada uma tocando funk, música sertaneja e outras coisas fáceis de ouvir, numa Babel enlouquecedora, você tem um companheiro novo na sua praia de estimação. Não, não é a turma que vem de…

Continuar lendo

Praças e parques contrastam com a turbulenta São Paulo

No entanto, muitas áreas verdes carecem de conservação e manutenção Em contraste ao concreto e à poluição da maior metrópole do país, São Paulo abriga 94 parques e 4.775 praças, que guardam grandes preciosidades, como as obras arquitetônicas de Oscar Niemeyer, no Parque do Ibirapuera, e uma diversificada fauna no…

Continuar lendo

Os pássaros no verão

No verão os pássaros ficam mais espertos, mais ativos, mais ousados, o que quer dizer que atacam a comida da Clotilde com muito mais vontade e ainda aproveitam a ocasião para um bom banho na tigela de água. Não que a Clotilde não se importe. Ela fica indignada com a…

Continuar lendo

As chuvas já chegaram

As chuvas de verão este ano começaram na primavera. Nada de novo debaixo do sol, as mudanças climáticas estão mudando o andar da carruagem. Quando é para ser quente, faz frio; quando deveria chover, fica seco; e até a geada deu de entrar em cena em momentos inesperados, para não…

Continuar lendo

Os dois lados da chuva

A chuva chega seguindo o vento, que entra como se a casa fosse sua, como se a porta não tivesse tranca ou o cavalo de Tróia já estivesse dentro dos muros. Chega sem pedir licença. Passa feito louco por entre os galhos apavorados, derruba os ninhos, as folhas das palmeiras,…

Continuar lendo

Cavalos e cavalgadas

Tupã, Sanhaço, Fio de Ouro, Valete, Penacho, Gilbertão, Sete Dedos, Zorro, Gastúrias, Rita, Rancheira, Bordado, Corsário e Nativo. São alguns dos cavalos da época de minha infância e juventude na fazenda de Louveira. Havia outros, mas elenca-los não muda o sentido da crônica que não é mostrar o tamanho da…

Continuar lendo

Cadê os pardais?

Meu pai não gostava deles. Dizia que por causa dos pardais os tico-ticos tinham desaparecido de São Paulo. Os pardais são pássaros vindos da Europa, não são nativos, por isso não têm inimigos naturais, ou não tinham, quando chegaram. O resultado foi se estabelecerem no bem bom da vida brasileira…

Continuar lendo

O tapete inesperado

Eu e a Clotilde saímos de casa para dar nossa caminhada na Cidade Universitária. Entramos na USP e seguimos pela avenida que contorna a raia olímpica, o novo lar das capivaras, que se multiplicam em velocidade impressionante, sem inimigos naturais para controlar a população. Como minha sugestão de soltar duas…

Continuar lendo

Briga de foice no escuro

Tem quem ache que a vida das plantas é fácil, que é florir, esperar todo mundo dizer OH! e tocar em frente, sem outra preocupação que gerar os frutos e espalhar as sementes para garantir uma improvável reprodução. Não, não é assim que as coisas giram. É mais complexo e…

Continuar lendo