A paineira da praça Vicente Rodrigues

[Crônica de 23 de setembro de 1997] Pertinho da minha casa, na esquina da rua Camargo com a avenida Afrânio Peixoto, tem uma praça, que faz um círculo no meio da rua, para auxiliar o tráfego, projetado inicialmente para um bairro residencial, mas que, por circunstâncias que fugiram de qualquer…

Continuar lendo

A vida é uma imensa gangorra

[Crônica de 5 de março de 2001] Se o mundo não sabe muito bem para onde vão suas noções de ética, e se a coisa está preta justamente porque a moral que valia até ontem, deixou de satisfazer as necessidades de hoje, e por isso está tudo confuso e nebuloso,…

Continuar lendo

A natureza é a dona do jogo

Eu conheci o Rio Grande do Sul na década de 1970. Porto Alegre era um jardim e Gramado, lugar de conto de fadas. Durante muitos anos, ao longo da década de 1980, eu viajei pelo Estado, a trabalho e a passeio. O que mais me chamava a atenção era que…

Continuar lendo

Paulo Nathanael

Meu querido amigo Paulo Nathanael Pereira de Souza morreu no dia 25 de maio. Morreu dormindo, ao que parece, sem sofrimento. Fazia tempo que ele estava com a saúde fragilizada, mas nem por isso faltava às sessões semanais da Academia Paulista de Letras. Ia de cadeira de rodas, com garrafa…

Continuar lendo

A divisão da solidão

Numa crônica genial, verdadeira e triste, meu amigo o poeta Rodrigo Leal Rodrigues entrou de sola num tema fascinante e terrível, que é a divisão da solidão a dois, quem sabe a mais cruel de todas as solidões. Como ele colocou com admirável precisão, quando as palavras trocadas entre os…

Continuar lendo

As músicas e o táxi

[Crônica de 11 de fevereiro de 2001] Tem todo um universo de músicas lindas que são quase impossíveis de serem ouvidas, pelo menos antes das cinco horas da manhã.  São músicas deslumbrantes, mas são tristes demais e dão vontade chorar, o que só combina com quatro ou cinco uísques e…

Continuar lendo

Aviões

Apesar de um grande poeta brasileiro ter dúvidas sobre a viabilidade de uma máquina voadora, mais pesada do que o ar, inventada por um brasileiro, os aviões são uma das maiores invenções do mundo, em todos os tempos. As distâncias estão cada vez mais curtas e já se fala na…

Continuar lendo

Entre Franciscos

Bom é sair de casa e ter uma noite especial, porque a companhia é especial, porque o programa é especial, porque a vida é especial. E e ela pode ser boa e bonita, como contraponto para o feio que entristece o mundo. Meu amigo Gabriel Chalita é uma pessoa de…

Continuar lendo

As Forças Armadas na tragédia

Se não fossem as Forças Armadas brasileiras, a tragédia do Rio Grande do Sul seria pior. O trabalho dos militares do Exército, Marinha e Aeronáutica engrandeceram a palavra solidariedade e deram outra dimensão ao acolhimento que as vítimas tiveram da nação. As Forças Armadas, durante a tragédia, mostraram quem são…

Continuar lendo

O cavalo caramelo

A catástrofe do Rio Grande do Sul mostrou o ser humano como o ser humano é. De um lado, um monstro, de outro, um ser maravilhoso. Os saques, assaltos, furtos e ações de bandos de criminosos encheram o Brasil de vergonha. Nada que não aconteça no resto do mundo, mas…

Continuar lendo