O incêndio de Notre-Dame

Pode parecer incrível, mas os incêndios não são exclusividade do Brasil. Da mesma forma que o Museu Nacional pega fogo, a Catedral de Notre-Dame pega fogo. Algo diferente entre Brasil, França e o mundo? Não. Há alguns anos o Castelo de Windsor pegou fogo e o mundo ficou estarrecido aos…

Continuar lendo

Não tem taxa de risco

O Senado acaba de aprovar uma Medida Provisória que permite que as Santas Casas e os hospitais filantrópicos tenham suas dívidas renegociadas através de uma linha especial, formada por até 5% dos recursos do FGTS. Como a Câmara já havia aprovado a Medida Provisória, agora o texto vai para a…

Continuar lendo

Viagem e o Planos Bar

Cada vez que ouço Marisa Gata Mansa cantar Viagem, volto no tempo e me lembro do Planos Bar. O melhor bar de São Paulo durante muitos anos e que, com seu fechamento, deixou quem gosta de bar, com cara de bar e jeito de bar, órfão de um lugar como…

Continuar lendo

Quase uma década fechado

Símbolo da independência do país deixa milhares de órfãos Inaugurado em 1892, o Museu do Ipiranga tem um rico acervo que conta não apenas a história da Independência do Brasil, mas retrata o século 17 até meados do século 20, em seus mais de 450 mil objetos. Enquanto o mundo…

Continuar lendo

As antigas doenças estão de volta

Menino, eu tive catapora, sarampo, caxumba e rubéola. Nada que os meninos da época em que eu era menino não tivessem. Eu não fui a exceção à regra, eu fui a regra. Não havia muitas vacinas. E as que havia, nós tomávamos porque era a forma mais inteligente de evitar…

Continuar lendo

Acho que morri

Primeiro foi um barulho longe, como se as forças afegãs avançassem madrugada a dentro, bombardeando São Paulo, para um assalto coordenado por forças rebeldes lutando contra os rebeldes. Depois ele percebeu que era só o telefone e que o barulho aumentava porque tinha ido dormir tarde e não fazia tanto…

Continuar lendo

Pulando que nem cotia

Quando perguntavam para meu tio Roberto Cerqueira Cesar como ele ia, a resposta era, invariavelmente: “pulando que nem cotia”. Era a forma dele definir as dificuldades da vida e a força que nós temos que fazer para tocar em frente da melhor forma possível, especialmente quando o tempo está fechado…

Continuar lendo

O que fazer com o matagal?

Praças com aspecto de abandono não são raras em São Paulo Quem frequenta as praças da cidade ou mora próximo de uma delas, sabe o quanto a grama alta e a falta de manutenção incomodam. Não só pela sujeira que fica, mas pela proliferação de mosquitos, o que é um…

Continuar lendo

Quem vai, vai ou não

Quem vai, vai. É a lógica do ato de ir, mas, como diria um português meu amigo, pode ser que não. Ter intenção de ir não significa que o interessado foi. Há dezenas de razões para alguém querer ir e não ir. Desde perder a vontade até ser impedido, além…

Continuar lendo

Parabéns para o muro

O muro da USP fez aniversário. Um ano. Se alguma obra em São Paulo, entre as dezenas de barbaridades de todos os tipos, merece o título de monumento ao absurdo é o muro da USP. Ainda que construído com participação, apoio e consentimento da melhor universidade da América Latina, o…

Continuar lendo