Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Os jardins da USP

 

Os jardins da Cidade Universitária são lindos, gostosos e verdadeiras caixas de surpresa.

Quando menos se espera, surge algo inusitado, como gaviões furando os sacos de lixo porque é mais fácil comer neles do que perseguir os bem-te-vis em pleno voo.

A criação de capivaras segue de vento em popa. Agora, só duas onças, como eu já propus que colocassem às margens da Raia de Remo, é pouco para tanto roedor. As onças correm o sério risco de serem mortas pelas capivaras, se elas decidirem atacar em bando.

Leia também: O cardeal voando na USP

Também não é comum se ver cardeais voando por São Paulo. No entanto, não faz tanto tempo, dei com um lindo cardeal, com o corpo branco e a cabeça vermelha, voando de árvore em árvore num sábado de manhã.

Quero-quero é praga. Tem em todos os gramados, fazendo uma algazarra infernal. Da mesma forma, as rolinhas e os sabiás são os donos da casa e dão as boas vindas aos que percorrem os jardins da USP.

No campo dos vegetais, as árvores de todos os tipos, formas e tamanhos fazem contraponto aos arbustos floridos, como os hibiscos na cerca da Raia de Remo, que têm, do outro lado da rua, imensas tipuanas que florescem pequenas flores amarelas.

Leia também:Por que só no Butantã?

Mas essas não têm nada de inusitado, nem de imprevisto. Seu encontro é carta marcada nas ruas da cidade.

Bom é encontrar uma, duas, várias jaqueiras carregadas nesta época, com as jacas grandes e maduras.

Mais inesperado é dar de cara com uma mangueira carregada, com frutas maduras caídas na calçada, perto do prédio da Faculdade de História, como que lembrando as navegações portuguesas que as trouxeram da Índia.

Neste momento é tempo das goiabeiras estarem carregadas. E elas são generosas na fartura, tanto da goiaba vermelha, como da goiaba branca.

Crônicas da Cidade vai ao ar de segunda a sexta na Rádio Eldorado às 5h55, 9h30 e 20h.

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.