Pressione enter para ver os resultados ou esc para cancelar.

Caos nas pontes e viadutos

Os riscos estão por toda parte

A interdição do viaduto próximo à ponte do Jaguaré e de parte da marginal expressa, sentido Castello Branco, acendeu um alerta para o enorme problema que a Prefeitura da cidade de São Paulo terá que enfrentar, e rápido: a lista é grande do número de viadutos e pontes que apresentam problemas e riscos. O que não poderia ser diferente, afinal, nos últimos dez anos, apenas 12 deles entre os 185 existentes na capital passaram por manutenção. Um verdadeiro descaso.

A história é sempre a mesma, basta uma estrutura ruir que os órgãos púbicos começam a se mexer. E foi exatamente assim quando houve a interdição do viaduto próximo à ponte do Jaguaré e de parte da marginal expressa, sentido Castello Branco, na segunda quinzena de novembro do ano passado. De lá para cá, foram feitas vistorias em algumas estruturas elevadas na cidade.

Em uma primeira etapa foram identificados problemas em praticamente metade dos viadutos e pontes vistoriados pela equipe de engenharia da Prefeitura, a maioria deles na zona Oeste da cidade, ao longo da Marginal Tietê, de um total de 33 estruturas avaliadas. Com certeza, você deve estar pensando como eu: Quanto mais vistorias forem feitas, mais problemas irão surgir.

Você pode se interessar:

E você também deve estar pensando porquê é preciso esperar que um incidente aconteça para que uma providência seja tomada. O problema não é de hoje, o risco é grande de uma estrutura destas ruir. E um dos problemas mais graves foi identificado no viaduto Gazeta do Ipiranga, que liga a Rua das Juntas Provisórias e a Avenida do Estado. Ele corre o risco de cair, conforme especificado no relatório da secretaria de Obras da Prefeitura. Enquanto isso, ele recebe um tráfego intenso de carros e caminhões diariamente.

Qual é a sua opinião? Compartilhe:

Antonio Penteado Mendonça

Advogado, formado pela Faculdade de Direito Largo São Francisco, com pós-graduação na Alemanha e na Fundação Getulio Vargas (FGV). É provedor (presidente) da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, ex-presidente e atual 1º secretário da Academia Paulista de Letras, professor da FIA-FEA e do GV-PEC, palestrante, assessor e consultor em seguros.