O galo da madrugada

São Paulo é uma cidade gigantesca em todos os sentidos. A área é imensa, a população é das maiores do mundo, o PIB impressiona. Mas a cidade vai muito além dos indicadores comuns. Com certeza, temos muito mais ratos do que seres humanos e mais baratas do que ratos. Até…

Continuar lendo

Relógios

Quem se lembra do relógio da Willys, que depois virou relógio do Itaú e ficava em cima do Conjunto Nacional? As batidas do relógio do Mosteiro de São Bento serviam para marcar as seis da tarde nas rádios que tocavam música caipira, muito antes de serem rebatizadas de sertanejas. Apesar…

Continuar lendo

Caixa de ferramentas

Ninguém discute, o uísque é importante. O vinho é importante. A cerveja é fundamental. Como são fundamentais os copos, as taças e as canecas, porque sem elas fica difícil beber. Ninguém discute, um bom colchão é meio caminho para uma boa noite de sono. Como também são importantes os lençóis…

Continuar lendo

As paineiras continuam aí

As paineiras este ano entraram em cena mais cedo, mas estão querendo sair mais tarde. Várias delas continuam firmes e fortes e com suas floradas em forma, enfeitando a vida de quem passa perto. Desde menino sempre gostei das paineiras. Na fazenda de Louveira, na época em que os frutos…

Continuar lendo

Chuvas de Abril

As chuvas de março se mudaram para abril. O que choveu em São Paulo nos dias 8 e 9 passados só não impressionou mais porque foi nada perto do que choveu no Rio de Janeiro, exatamente nos mesmos dias. As chuvas que atingiram o Rio de Janeiro mostraram que a…

Continuar lendo

No silêncio da madrugada

Diz a lenda que as madrugadas deveriam ser silenciosas. Mas não se impressione, nem acredite, é só lenda. De verdade, as madrugadas nas grandes cidades são quase tão barulhentas quanto o dia ou a noite. A roda não para e gira incessantemente 24 horas por dia. A diferença é que,…

Continuar lendo

Bom senso é bom e faz bem

Tem gente que atravessa a rua fora da faixa de pedestres, sem olhar para os lados e com o semáforo aberto para os carros. Tem gente que atravessa a rua debaixo da passarela de pedestre, saltando a grade que separa as pistas. Tem gente que atravessa rodovias carregando uma bicicleta…

Continuar lendo

Pasme, não é obrigatório

Vivendo e aprendendo. Sempre tive como certa a informação que me foi dada há alguns anos por um amigo ciclista veterano e inveterado, destes que saem de São Paulo e se aventuram pelas estradas até chegar em alguma cidade a mais de 100 quilômetros de distância, como Ubatuba ou outra…

Continuar lendo

Dez motivos para privatizar

Não é difícil elencar cem motivos para justificar a privatização de tudo o que for privatizável no Brasil. Mas me parece que dez são suficientes para mostrar que o melhor caminho para os brasileiros é a privatização de tudo o que não tiver obrigatoriamente que ficar nas mãos do governo….

Continuar lendo

Bom é ver sangue

De repente a estrada para. O engarrafamento se estende por alguns quilômetros, segue a passo de cágado, se arrasta lentamente, até que você chega no local em que o acidente aconteceu e descobre que foi na pista do outro lado, separada por um largo canteiro central, e que não tem…

Continuar lendo