Praças e parques

Ninguém discute que o Ibirapuera é um parque, e grande. Ninguém discute que o Trianon é um parque, não tão grande. Ninguém discute que o Alfredo Volpi também é um parque, com mata mais fechada. São Paulo tem parques, tem praças e tem áreas que não são nem uma coisa,…

Continuar lendo

Água faz bem

  Diz a ciência que sem ela não haveria vida, não só aqui, mas no universo. Sem água não há como a vida vingar, se estabelecer e prosperar, até evoluir para formas mais desenvolvidas e nobres, como o ser humano. É por isso que a busca pela vida em outros…

Continuar lendo

Tanta tudo e os olhos da onça

Tanto Mar, Tanto Mar. E serras cobertas de matas. E outras serras. E outras matas. Tanta Mata, Tanta Mata. E rios e cachoeiras e sonhos arrancados das águas, do fundo da terra, da cicatriz das minas. Pedras preciosas, esmeraldas, olhos varando a imensidão verde da mata. Tanta Mata, profunda, densa,…

Continuar lendo

Tanto mar

Tanto mar, tanto mar, tanta água une o mundo na viagem fantástica dos navegadores transplantando vegetais, mudando o reino dos animais, descobrindo metais, carregando nas velas das naus os sonhos dos Eldorados perdidos muito depois das águas douradas pelo sol. Tanto mar, tanto mar é parte viva da minha vida,…

Continuar lendo

O céu mais limpo

  A pandemia corre solta pelo território brasileiro. Não há o que fazer. O vírus tem seu ciclo de vida e, enquanto tiver forças, irá fazer seu papel de peste, entre os cavaleiros do apocalipse. A guerra, a fome, a peste e a morte. Desde a Segunda Guerra Mundial o…

Continuar lendo

Antigamente

  Antigamente, a vida tinha algo de maravilhoso, como se os contos de fadas fossem verdade e ser herói fosse fácil. Ser herói podia ser fácil, mas ser o príncipe era mais complicado. Ser príncipe tinha vantagens indiscutíveis, mas a escolha do príncipe seguia critérios subjetivos da dona da peça,…

Continuar lendo

O ipê maluco

  Não sei se é por causa do coronavírus, num tipo de reação como o das pessoas que, na Idade Média, começavam a dançar e fazer loucuras quando a peste chegava nas cidades. A certeza ou a expectativa da morte soltava todas as amarras, quebrava os grilhões morais e religiosos…

Continuar lendo

O lado bonito da pandemia

  Tudo no mundo tem mais de um lado, até a pandemia do coronavírus. Quem viu o céu de São Paulo em alguns finais de tarde recentes sabe do que eu estou falando. Se não fosse o coronavírus e a ameaça que ele representa, os paulistanos não teriam se recolhido…

Continuar lendo

Em meio à turbulência, uma boa notícia

A qualidade do ar de São Paulo está melhor, assim como a poluição sonora foi reduzida Em pouco mais de um mês de quarentena na cidade de São Paulo, as mudanças já são bastante notórias na qualidade do ar e no azul do céu. Claro que estamos em pleno Outono,…

Continuar lendo

Certos dias cinzas

Tem certos dias que são diferentes. Não que existam dois dias iguais, mas alguns são mais diferentes do que os outros. Não quer dizer que sejam piores, nem melhores. Simplesmente, por uma razão ou outra, são diferentes, na própria essência, no âmago. E a diferença pode ser física, pode ser…

Continuar lendo