São Paulo é fascinante

  Tem quem ache a cidade feia. Que São Paulo é fria e cinza, sem cor e sem verde. Que a arquitetura é sem caráter. Que os prédios mostram o que não são, até novecentos anos depois do estilo ter saído de moda. É o caso da Catedral da Sé,…

Continuar lendo

A cidade dos bichos

  Tem quem duvide, mas é só porque não conhece. Quem mora aqui sabe que São Paulo tem de tudo um pouco, ou muito, como aves, ratos, baratas, pernilongos, onças e capivaras. Sabiás, bem-te-vis, rolinhas, pombas, tico-ticos, quero-queros, almas de gato, tuins, canarinhos e toda sorte de periquitos dividem os…

Continuar lendo

A cidade vista do alto

A vista do alto do edifício Itália sempre foi impressionante. Para qualquer lado que se olhe, São Paulo se estende como uma mancha monstruosa tomando de assalto o planalto, deixando uma ou outra área vazia – que até a próxima visita já estará ocupada. O maravilhoso e apavorante é isto….

Continuar lendo

Bom dia

  Se a pandemia tem um lado positivo, com certeza é a mudança de postura de grande parte das pessoas andando nas ruas. Faz tempo que, em minhas caminhadas, eu cumprimento as pessoas com um singelo bom dia. Durante muitos anos, a maioria não respondia. Alguns fechavam a cara, muitos…

Continuar lendo

A elasticidade dos bairros

Os bairros em São Paulo fazem questão de ser heráldicos. Nobre, com passado e se possível ligação direta com regiões da França ou Itália, para não falar nas cidades litorâneas do Mediterrâneo, um mar pequeno e tão longe de nossas distâncias atlânticas. E aí mudam de nome. Por exemplo, quando…

Continuar lendo

São partes da cidade

  As tipuanas, as sibipirunas, os ipês, as azaleias, as patas de vaca, os manacás e as quaresmeiras são parte da cidade. Assim como as paineiras, as figueiras e os paus ferro também o são. Por incrível que pareça, as jaqueiras fazem parte da cidade e, como elas, os abacateiros…

Continuar lendo

A vida vista do alto

Fazia tempo que eu não tinha a chance de ver vida do alto, do décimo sétimo andar de um prédio na avenida Paulista, separado do mundo lá fora por uma grossa janela de vidro. É impressionante como o mundo muda quando a perspectiva é outra, mais alta do que nossa…

Continuar lendo

A mancha

De repente o cinza triste da cidade grande é quebrado por uma mancha roxa que muda a cor do dia e o humor das pessoas. Saída do nada, escondida atrás de um muro, ela cresce, sobe pelas paredes de tijolo, se espalha pelo dia e se entrega nos cachos deslumbrantes…

Continuar lendo

Vai inundar porque todo ano inunda

  Dizem que as pessoas nadavam no Rio Tietê. Eu só vi fotos dessa época. Então, não posso dizer que era assim ou era assado. Um meu tio remava no rio, mas entre remar e nadar vai uma grande diferença. E também nunca vi ele remando. Então, mais uma vez,…

Continuar lendo

Os periquitos

Quem mora em São Paulo, ao longo dos últimos anos, vai se familiarizando com as aves de todos os tipos que trocaram as matas e os campos pela vida fácil na cidade grande, rica em lixo que para elas é alimento da melhor qualidade. Mas tem também as aves que…

Continuar lendo