O taxista que gostava de música clássica

  Outro dia levei meu carro para a revisão e, por conta disso, andei de taxi pela cidade. Entre os taxis que tomei, um merece esta crônica. Pena que não anotei seu nome. Precisava ir do escritório para a Academia Paulista de Letras. Tomei o taxi e pedi que ele…

Continuar lendo

Embaixo do Minhocão

  Já foi Costa e Silva, agora é Jango Goulart. Nenhum dos dois merece a honra de dar o nome para o Minhocão, mas o nome do general era melhor, se não for por nada, porque sempre foi o nome do elevado e uma cidade não perde seus referenciais por…

Continuar lendo

Fez frio de Europa

Só os especialistas a esperavam tão forte, mas, no momento certo, a frente fria chegou, trazendo neve, geada e as belezas do inverno, somadas a tudo de brutal e devastador que o frio tem. Fez frio de verdade. Alguns dias com temperatura de inverno europeu, como se a Alemanha tivesse…

Continuar lendo

A violência retorna ao Butantã

O Brasil tem mais de cem mil mortes violentas todos os anos. Dito isso, e sabendo que mais de sessenta mil são assassinatos, discutir a violência que retorna às ruas do Butantã pode parecer muito pequeno. Mas não é. Os assaltos a mão armada são frequentes, especialmente nas ruas da…

Continuar lendo

De tudo um pouco

São Paulo pode ser considerada uma enorme salada de frutas. Aqui tem de tudo um pouco. Tanto faz de que parte do mundo, se do interior do Amapá ou do litoral da Ucrânia, São Paulo recebe gente de todas as partes com a mesma sem cerimônia com que permite que…

Continuar lendo

Avenida Paulista no domingo

Mais do que nunca, a Avenida Paulista é a cara de São Paulo. Quase caótica, com prédios praticamente vazios, escritórios desocupados, o museu mais importante da cidade, alguns centros culturais, escola pública, faculdade privada, bancos que partiram, bancos que ficaram, shopping centers, seguradoras, escritórios em geral, Fiesp, sindicatos, moradores de…

Continuar lendo

E se não fosse a mobilidade alternativa?

Como estaria o trânsito da cidade… A cada dia, novas formas de mobilidade ganham as ruas de São Paulo. Patinetes elétricos, bicicletas também elétricas ou não, pessoas que optam por irem a pé para os seus destinos, outras que recorrem aos motoristas de aplicativos e há as que mantém o…

Continuar lendo

La cacerole, muito tempo

O Largo do Arouche é um lugar fantástico e poderia ser um dos mais bonitos da cidade. Comparável aos mais bonitos de Paris, Londres, Madri ou Lisboa, só não seria comparável a Roma porque não é antigo o suficiente para isso. Mas o Largo do Arouche não é o que…

Continuar lendo

Viagem e o Planos Bar

Cada vez que ouço Marisa Gata Mansa cantar Viagem, volto no tempo e me lembro do Planos Bar. O melhor bar de São Paulo durante muitos anos e que, com seu fechamento, deixou quem gosta de bar, com cara de bar e jeito de bar, órfão de um lugar como…

Continuar lendo

Quase uma década fechado

Símbolo da independência do país deixa milhares de órfãos Inaugurado em 1892, o Museu do Ipiranga tem um rico acervo que conta não apenas a história da Independência do Brasil, mas retrata o século 17 até meados do século 20, em seus mais de 450 mil objetos. Enquanto o mundo…

Continuar lendo